max wíllà morais

(ultima atualização em maio/2020)

Rio de Janeiro, RJ, 1993
Vive e trabalha no Rio de Janeiro, RJ

Representada pela Sé Galeria

Indicada ao Prêmio PIPA 2020

max wíllà morais teve formação pela igreja evangélica em teatro, canto, dança, educação e teologia dos 12 até os 19 anos. A partir dos 18 anos ingressa em Artes Visuais na UERJ e realiza séries fotográficas, entre elas Sucessão com sua mãe Elenice Guarani. Nessa época começa também a desenhar com linha em cascas de ovos e a criar seus arranjos com galhos e tecidos. O primeiro arranjo foi jogado fora por sua mãe e por seu pai porque acharam que a coisa se tratava de um feitiço. Em 2012 conheceu Aline Besouro e formou o grupo Madureira (MAd) com atividades até 2016 usando malha, fotografia e vídeo. De 2015 a 2019 desenvolveu proposições com Daniel Santiso, dentre elas o documentário experimental “A poeira não quer sair do Esqueleto”. Atualmente sua forma se apresenta em linhas, objetos, cores, massas, rastros, por aparições e enquanto bicha. Experimenta a extensão do corpo e a transformação em histórias aparentemente terminadas. Trabalha na relação material e imaterial, sobretudo ao se referir aos encontros estranhos, pretos, diaspóricos e familiares.

site: https://maxwillamorais.wixsite.com/portfolio


O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA