Mariana Maia

(ultima atualização em abril/2024)

[Essa página está em construção]

Rio de Janeiro, RJ, 1984
Vive e trabalha em Rio de Janeiro, RJ

Participante do Prêmio PIPA 2024

Mariana Maia é uma artista multilinguagem que pesquisa imagens de mulheres negras, a estética relacionada a periferia, em suas relações com a religiosidade de matriz africana. Possui formação em História da Arte, com Mestrado em Artes pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Atua como Professora de Artes da Rede Pública do Rio de Janeiro. Atua, também, como Curadora, Produtora Cultural e Artista Educadora no Museu da História e da Cultura Afro-Brasileira. Trabalhos da artista estão nos acervos do MUHCAB e do MAR.

Realizou a exposição individual “CoroAção” (Galeria Desvio/ RJ, 2019). Participou das exposições coletivas: “Abolicionistas Brasileiras” (Museu de Arte do Rio, 2024), “Mãemória” (Instituto dos Pretos Novos/RJ, 2024), “Passeio Público” (Caixa Cultural/ RJ, 2023), “Maternagem” (SESC Duque de Caxias, 2023), “Artistas Latinas” (ArtRio, 2022), “Pixinguinha: um maestro batuta” (Museu de Arte do Rio, 2022). Participou da residência artística internacional “No Rio há uma cidade que nos separa” (Cunts Collective, 2021). Atuou e roteirizou os filmes curta metragem “Trouxa de Ouro” (2021), “Quatro Ôrí” (2021), “Mãe do Entardecer” (2020), “CoroAção” (2019), “Já temos assento” (2018), que foram exibidos em diversos festivais e mostras no Brasil e no exterior. Foi Curadora das exposições “Contemporânea Ancestral” (2023), “Abarcar Origens de Aparecida Silva” (2022), e “1º Festival Margem Visual: performance periférica na rede” (2021). 

Site: maiamariana.com.br  // instagram.com/marianamaiaato  // youtube.com/@MaiaMariana


Posts relacionados



O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA