Ilê Sartuzi, "Vedetes", 2017, máscara de látex, pedestal de microfone, ferro, servomotor, arduino, projetor, dimensões variáveis

“Phygital” pensa as fronteiras entre o universo físico e o digital no contemporâneo

(Rio de Janeiro, RJ)

“Anos 2020. Imersos num universo híbrido, conectados 24 horas por dia, 7 dias por semana, vivemos no limite das fronteiras física e digital. Constantemente online, estamos aqui e em todos os lugares. Rodeados de notícias instantâneas, conversas com amigos e produtos para consumo, somos convidados a interagir incessantemente. Sem nos dar conta, entramos no modo piloto automático, absortos por um estilo de vida frenético homem-máquina, cercados por múltiplas telas e estímulos, a fração humana que habita o nosso corpo, exaurida. Dificilmente fazemos uma pausa para refletir sobre o ato de ser, a qualidade das relações humanas, a aceleração do tempo e o mundo que nos rodeia – aqui eu me refiro ao mundo o real”.

É assim que Cecília Fortes, curadora do Centro Cultural da PGE-RJ, apresenta a nova coletiva “Phygital”. Aberta de 14 de março a 13 de julho de 2024, a exposição sugere uma reflexão sobre os efeitos deste mundo híbrido físico x digital cada vez mais presente no nosso dia a dia, bem como sobre as novas formas de interações humanas através do uso da tecnologia. A mostra reúne obras de nove artistas brasileiros que pesquisam os desdobramentos do mundo “phygital” em nosso cotidiano e as suas consequências para a sociedade. 

Fazem parte da coletiva Anna Costa e Silva, Piti Tomé, Monica Rizzoli, Sofia Caesar, Rafael AlonsoLuiz D’Orey, Leo Zeba, Vitória Cribb, uma das Artistas Premiadas do PIPA 2022 e atualmente membro do Conselho do PIPA, e Ilê Sartuzi, um dos Artistas Selecionados do PIPA 2021, com a obra “Vedetes”, que é parte da coleção do Instituto PIPA e foi cedida para a exposição.

No trabalho, Sartuzi nos instiga a pensar sobre a ausência do elemento humano no universo digital. O artista reproduz no campo material a figura de um avatar, cujo movimento mecânico repetitivo, em descompasso com as imagens de bocas de vedetes do cinema projetadas sobre o rosto, evidencia a artificialidade da máquina em relação a organicidade da expressão física humana. 

“Phygital”
Curadoria de Cecília Fortes
Aberta ao público de 14 de março a 13 de julho de 2024

Centro Cultural da PGE-RJ
Rua Primeiro de Março, S/Nº – Praça XV, Centro, R
De terça a sábado, das 10h às 18h (exceto feriados)



O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA