Arquivo PIPA: conheça a história da artista que escrevia mensagens codificadas em muros da cidade do Rio e teve seu alfabeto decifrado

O Prêmio PIPA não é apenas uma premiação que ocorre em um momento específico do ano: é também uma plataforma repleta de material sobre arte contemporânea brasileira. Assim, o PIPA funciona como uma fonte de pesquisa para curadores, artistas, professores, por contar com vídeos, textos, entrevistas, imagens de obras, currículos, catálogos disponíveis gratuitamente, e muito mais.

Pensando em circular cada vez mais esse material, vamos compartilhar toda semana, às quintas-feiras, algum vídeo de nosso extenso arquivo, convidando o público a mergulhar nos demais conteúdos. Nesta aba, por exemplo, você pode consultar os vídeos por ano, e nesta aqui, por técnica do trabalho. Ambas as abas, e outras, estão contidas na aba “Vídeos”, no topo do site.

Para esta semana, separamos um vídeo produzido em 2012 que aborda os desdobramentos da história de uma artista que cobria bairros do Rio de Janeiro com frases em uma língua secreta e teve suas mensagens decifradas. Joana Cesar criou, na adolescência, um código para escrever em seu diário, e posteriormente, a partir de 2003, retomou o alfabeto, pintando mensagens em muros, calçadas, postes e viadutos da zona sul. Esses códigos chamaram a atenção de Carlos Tomei, professor de matemática da PUC-Rio, que desafiou dois de seus alunos, Juliana Freire e Paulo Orenstein, a decifrarem o alfabeto. Após 1 ano, o objetivo foi alcançado e, com isso, os textos de Juliana se tornaram legíveis: eles carregavam temas pessoais, como memórias de infância, angústias e a relação dela com o pai. Esse episódio ainda virou matéria da revista Piauí (acesse o texto aqui) e resultou em uma amizade entre Joana e Paulo.

No vídeo, produzido pela Matrioska Filmes, a artista fala, como indica o título, sobre sua “vida após o código”, comentando, por exemplo, a tentativa de transportar essa linguagem da rua para os meios institucionais, a relação com seu trabalho e as trocas com Paulo. Assista abaixo:



O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA