Exposição ‘Encruzilhadas da Arte Afro Brasileira’ conta com 61 artistas e 150 obras

(São Paulo, SP)

Encruzilhadas da Arte Afro Brasileira, aberta ao público 16 de dezembro até 18 de março de 2024, reúne obras produzidas por 61  artistas negros, de diferentes regiões, nos últimos dois séculos no Brasil. São cerca de 150  pinturas, fotografias, esculturas, instalações, vídeos e documentos abordando uma variedade de temáticas, técnicas e descritivos, distribuídos pelos cinco andares do CCBB-SP. 

“O propósito da mostra é um diálogo transversal e abrangente da produção artística afro brasileira no país”, explica o curador Deri Andrade, pesquisador, jornalista, curador assistente  no Instituto Inhotim e criador da plataforma Projeto Afro de mapeamento e difusão de artistas negros/as/es da cultura afro-brasileira.  

Fazem parte da exposição artistas como Adriano Machado, Ana Lira, André Vargas,  Castiel Vitorino Brasileiro , Eder Oliveira, Elian Almeida, Gê Viana, Guilhermina Augusti, Gustavo Nazareno, Hariel Revignet , Helô Sanvoy , Josi, Kika Carvalho, Marcela Bonfim, Mônica Ventura, Moisés Patrício, Nay Jinknss, Panmela Castro, Priscila Rezende, Rafael Bqueer, Renata Felinto, Silvana MendesTiago Sant’Ana, Yhuri Cruz, entre vários outros. A mostra é dividida em cinco eixos, que destacam nomes centrais da arte afro-brasileira: Arthur Timótheo da  Costa, Lita Cerqueira, Maria Auxiliadora, Mestre Didi e Rubem Valentim. Cada um dos nomes lidera, respectivamente, um eixo: Tornar-se,  Linguagens, Cosmovisão (sobre engajamento político e direitos), Orum (sobre as relações espirituais entre o céu e a terra, a  partir do fluxo entre Brasil e África) e Cotidianos (discussão sobre representatividade).

O trabalho de pesquisa por trás do projeto e da exposição nasceu do desejo e, na sequência,  da frustração de Andrade ao não encontrar muitas referências em torno da arte afro brasileira no Brasil. Ao se debruçar em publicações, materiais de outras exposições (a exemplo de várias com curadoria de Emanoel Araujo nos anos 90, que mais tarde viria a se  tornar diretor da Pinacoteca do Estado de São Paulo) e inúmeras pesquisas para o  mapeamento de artistas negros e suas obras pelo Brasil, Deri Andrade iniciou um minucioso  projeto de catalogação de uma arte que, por vezes, foi marginalizada pela sociedade.  

Elian Almeida

Encruzilhadas da Arte Afro-Brasileira
Curadoria de Deri Andrade
Em cartaz de 16 de dezembro a 18 de março de 2024

Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo
Rua Álvares Penteado, 112 – Centro Histórico – SP
Ingressos gratuitos: disponíveis em bb.com.br/cultura e na bilheteria física do CCBB SP.
Funcionamento: aberto todos os dias, das 9h às 20h, exceto às terças-feiras. O CCBB não  funcionará em 24, 25, 26 e 31 de dezembro e nos dias 1 e 2 de janeiro de 2024. 



O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA