Imagem retirada do site da Casa Triângulo, obra de Lyz Parayzo

Um balé de metal: Lyz Parayzo apresenta sua primeira individual na Casa Triângulo

(São Paulo, SP)

Com abertura dia 17 de novembro, Parayzo é a primeira individual de Lyz Parayzo na Casa Triângulo. A mostra é o desdobramento de “Cuir mouvement”, exposição que aconteceu em junho de 2022 na École Nationale Supérieure des Beaux Arts de Paris acerca de sua pesquisa escrita sobre espaço, movimento e participação.

Sobre estas duas palavras que dão nome ao projeto, a artista escreveu:

“O termo ‘cuir’ é a palavra utilizada no Brasil para se referir à palavra ‘queer’ popularizada no eixo global do Atlântico Norte. Esta reformulação linguística da questão queer responde às subjetividades locais da população brasileira em relação às suas homólogas norte-americanas. De fato, o contexto brasileiro diferencia-se pela sua história de colonização, miscigenação e desigualdade social e econômica. O título da minha exposição tem um duplo significado: no sentido de que ‘cuir’, que significa couro em francês, como também de um dos materiais que utilizo na minha própria prática para evocar a dinâmica do poder, da violência e do desejo em referência à moda erótica. Já a palavra ‘Mouvement’, que se refere à natureza móvel do meu trabalho, é também uma referência à Galerie Denise René, que produziu duas exposições marcantes na história da arte cinética em Paris, uma em 1955 e a outra em 1964. Estas exposições coletivas, intituladas ‘Le Mouvement’ e ‘Mouvement 2’ respectivamente, na qual participaram expoentes importantes do movimento concreto como Lygia Clark, Jesús Rafael Soto e Abraham Palatnik, além de terem sido historicamente eventos importantes para inclusão de artistas latino-americanos na cena francesa, também proporcionaram uma ligação transatlântica que sublinhou a contribuição significativa dos artistas sul-americanos para o desenvolvimento das artes cinéticas e ópticas a partir de meados do século XX”.

Em ensaio crítico, Júlia Tavares destacou que, na mostra, “Parayzo se apresenta como um organismo de arquiteturas biológicas as quais cada uma de suas células se formam pela rotação de uma linha. A partir de uma nova coleção de jóias bélicas, escudos, armas, móbiles e um vídeo, Lyz Parayzo convida o público para transitar em um espaço que demanda atenção do espectador. Isto, graças ao balé de finas placas de metal que dançam com ajuda de motores e que juntas criam luz, sombras e um labirinto de serras cortantes.”

Lyz Parayzo, “Mini Scolopendridae Mobile”, 2022, corrente de alumínio, aço e peso de chumbo, 66 x 39 cm

“Parayzo”, individual de Lyz Parayzo
De 17 de novembro até 23 de dezembro, 2022
Abertura das 18 às 21h

Casa Triângulo
Rua Estados Unidos 1324, São Paulo, Brasil
De terça a sexta, das 10 às 19h; sábados, das 10 às 17h
T: +55 11 3167-5621
info@casatriangulo.com


Tagged:


O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA