Marcio Marianno, “100% Algodão”, tríptico, 2017, óleo sobre tela, 30 x 20 cm cada

Confira páginas e vídeo-entrevistas de artistas participantes do PIPA 2022

Ao ser indicado ao PIPA, cada artista tem direito a páginas nos sites em português e em inglês do Prêmio. Essas páginas, juntas, formam um catálogo da arte contemporânea brasileira: são alimentadas com imagens de trabalhos, vídeos, textos, currículos, entre outros conteúdos que os participantes desejem enviar. A equipe do Prêmio incentiva que os artistas mantenham suas páginas atualizadas e está sempre disponível para recebimento de material. Além disso, os participantes do PIPA também são convidados a gravar uma vídeo-entrevista com a Do Rio Filmes, assim tendo mais um espaço para compartilharem sobre suas obras e seus processos de criação.

Os artistas participantes foram indicados pelo Comitê de Indicação, formado por profissionais da arte de todo o Brasil, no qual cada membro pode enviar até três nomes. Dos 66 artistas indicados para o Prêmio PIPA 2022, 61 participam desta edição, sendo 49 participantes de primeira viagem.

Assim como na edição do ano passado, o Prêmio decidiu focar na produção mais recente, indicando artistas que realizaram sua primeira exposição individual ou coletiva há no máximo 15 anos. O objetivo do Prêmio PIPA 2022 é ser um incentivo para artistas em início de carreira, porém com produção diferenciada.

Nesta postagem, apresentamos alguns dos 61 participantes do PIPA 2022. Clique nos nomes para acessar as respectivas páginas e saber mais sobre eles:

Cecilia Cavalieri é artista visual, escritora, educadora, pesquisadora cosmotransfeminista & mãe suficientemente boa. Natural do subúrbio de São Paulo [Água Rasa], foi criada no interior de Santa Catarina [Vale do Itajaí] e hoje mora no centro do Rio de Janeiro. É mestra em Artes [PPGArtes/UERJ] e doutoranda em Linguagens Visuais [PPGAV/UFRJ] com passagem pelo Laboratório de Sociologia e Filosofia Política [Sophiapol] da Université Paris-Nanterre.

Vídeo produzido pela Do Rio Filmes exclusivamente para o Prêmio PIPA 2022:

quando nasci alevim, em 1997, no fulgor norte-mineiro, banharam-me com o mesmo nome de meu pai, Davi de Jesus do Nascimento. sou barranqueiro curimatá, arrimo de muvuca e escritor fiado. gerado às margens do Rio São Francisco – curso d’água de minha vida – trabalho coletando afetos da ancestralidade ribeirinha e percebendo “quase-rios’’, no árido. fui criado dentro do emboloso da cumbuca de carranqueiros, pescadores e lavadeiras. o peso de carregar o rio nas costas bebe da nascente dos primeiros sóis que chorei na vida. sustentar na cacunda a carranca tem feito eu sentir a força do vento de minha taboca envergada no seguimento da rabiola solta que desceu em espiral gongo caracol envoltório para o calcanhar direito como cobra, isca, peixe e pedra.

Vídeo produzido pela Do Rio Filmes exclusivamente para o Prêmio PIPA 2022:

Nascido em Belém, Pará, Amazônia. Brasil. Vive entre Belém e Rio de Janeiro. Possui Bacharelado em Artes Visuais pela Universidade Federal do Pará (UFPA). É artista visual multimídia. Sua pesquisa parte das relações e vivências do corpo masculino queer. Trazendo assim reflexões sobre gênero, sexualidade, masculinidade, jogos de poder, solidão, cultura pop e o avanço da tecnologia. Os trabalhos que constrói trazem por vezes ‘autoficção ou ficcionalidade’, evidenciando narrativas destas vivências enquanto homem queer ou desviado(ante) na sociedade contemporânea brasileira. Trabalha com diversas linguagens das artes visuais, como novas medias, video, performance art, fotografia, instalação, site specific, texto, desenho. Participou de exposições no Brasil, Estados Unidos e Grécia.

Vídeo produzido pela Do Rio Filmes exclusivamente para o Prêmio PIPA 2022:

Kika Diniz nasceu e trabalha no Rio de Janeiro. Começou a estudar artes visuais na EAV Parque Lage em 2013 e em 2020 se formou no mestrado em Estudos Contemporâneos das Artes da UFF (2018-2020) na área de estudo dos processos artísticos. Seu trabalho de conclusão “Pornografia, Erotismo e Desejo: Estratégias de Subversão” tratava do desenvolvimento de uma análise prática e teórica acerca das imagens pornográficas mainstream largamente disseminadas como produto. Na defesa da dissertação, um questionamento de sua orientadora Tania Rivera “Será que todas as imagens não contêm em si um caráter pornográfico? O prazer do olho não seria ele próprio pornográfico?” a levou a expandir sua pesquisa para o campo das imagens compartilhadas nas redes sociais.

Atualmente, sua pesquisa começa no preparo das telas, que recebem gesso preto e laca brilhante antes de se tornarem palco para as imagens. O resultado é uma superfície preta impermeável e reflexiva, fazendo alusão ao “black mirror” (espelho preto) das telas quando estão desligadas. As imagens chegam por algoritmos e são provenientes do tiktok (série odeioestrogonofe – perfil usado pela artista no aplicativo) e de compartilhamentos nas redes sociais. As imagens (retratos, cenas cotidianas, animais, receitas, paisagens e tudo mais que é compartilhado) são o ponto de partida para o processo da pintura como espaço pictórico de gesto e tinta sobre tela, levando a resultados muitas vezes distintos da imagem inicial. Os títulos dos trabalhos se referem aos vídeos e fotos dos quais as imagens foram tiradas e fazem parte das obras.

Vídeo produzido pela Do Rio Filmes exclusivamente para o Prêmio PIPA 2022:

Artista visual e educador. Com origem no universo das animações, Marcio Marianno, que também já enveredou pela linguagem do grafite, agora se encontra imerso na pintura a óleo. Em suas pinturas, o artista traz o protagonismo da pessoa negra a partir de sua própria imagem e da observação e relação com personagens do seu cotidiano. Em sua produção Marianno discute herança, ancestralidade, história, assim como aborda estilo de vida relativos ao street wear, provenientes de sua vivência como skatista. Sua formação acontece frequentando as aulas de pintura no Ateliê Cayowaá, tendo como seu orientador o pintor e gravador Mauricio Parra.

Vídeo produzido pela Do Rio Filmes exclusivamente para o Prêmio PIPA 2022:

Raphael Escobar, formado em Artes Visuais e pós graduando em Estudos Brasileiros: sociedade, educação e cultura. Desde 2008 atua com educação não formal em contextos de vulnerabilidade social ou de disputas políticas, como Fundação CASA, Cracolândia e Albergues. Também ajudou a fundar diversos coletivos e movimentos sociais na região da Cracolândia como ativista.

Vídeo produzido pela Do Rio Filmes exclusivamente para o Prêmio PIPA 2022:

Samantha Canovas é artista plástica, têxtil, escritora, bordadeira e arte-educadora. Mestra em Poéticas Visuais pela USP 2017 e Bacharela em Artes Visuais pela UnB, 2013. Iniciou sua trajetória artística pesquisando os limites da materialidade da pintura, buscando adensar sua prática por meio de questões norteadoras, como método, deriva, obsessão e ócio na arte contemporânea. A artista investiga o têxtil enquanto campo escultórico, bem como sua relação com o vestuário, buscando ainda diluir a fronteira entre a arte e o artesanato e pensar a relação entre o doméstico e o feminino.

Vídeo produzido pela Do Rio Filmes exclusivamente para o Prêmio PIPA 2022:

A cada semana, vamos postar novas páginas e vídeos. Acompanhe!



O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA