Vivian Caccuri, "Pagode Branco"

Obra de Vivian Caccuri participa do Art Wall no Shopping Leblon (RJ)

(Rio de Janeiro, RJ)

Até 31 de março, Vivian Caccuri faz parte do Art Wall no Shopping Leblon, no Rio de Janeiro, com a obra Pagode Branco, que contempla a sua relação com a música e faz conexão com a cultura chinesa por meio da tapeçaria e padrões geométricos em cortina de fios. A artista e musicóloga, que mora e trabalha no Rio, busca apresentar novos sentidos e significados às experiências diárias por meio de objetos, instalações e performances. O Art Wall, com curadoria de Christiane Laclau, visa promover a arte e seus artistas por meio de ativações no corredor da entrada principal do Shopping.

Na cultura chinesa, o som cura. O ideograma para “medicina” (藥 yào) deriva de (樂, yuè), que significa “música”, e essa é uma das interseções entre a tradição milenar e as obras da série PAGODE. A relação de Vivian Caccuri com a música vai do berço à academia, e além. A tese de mestrado da musicóloga resultou no livro “O que faço é música”, e sua produção transita entre os universos do som e da visualidade.

Bass Mass, por exemplo, a instalação em exibição no parque High Line, no bairro nova-iorquino de Manhattan, nos Estados Unidos, apresenta caixas acústicas revestidas de vidro reflexivo. O trabalho, uma espécie de reinterpretação dos paredões das equipes de som dos bailes funk brasileiros, é uma crítica à exploração imobiliária e à arquitetura narcísica.

Paradoxalmente, sua arte sonora encontra inspiração na performance Caminhadas Silenciosas. Da observação silente dos signos urbanos, da ocupação dos espaços físicos e da delimitação de territórios, brotam ideias, que levam aos materiais, que moldam as ideias. Um moto-perpétuo inventivo. Ao desconstruir telas de proteção que encontrou nas ruas, resíduos da remodelação feita no Rio de Janeiro para os Jogos Olímpicos de Verão de 2016, ela criou estruturas pendentes análogas ao carrilhão, instrumento de percussão.

O processo de tapeçaria reversa compõe padrões geométricos em cortinas de fios, sugerindo um horizonte geográfico que ressoa enquanto se desfaz ao movimento. O tinir e o pendular que os cilindros de alumínio imprimem às franjas de telas mosquiteiras remetem ao balanço do samba. A propósito, “Mosquitos Also Cry” foi o tema de Vivian Caccuri na programação oficial de performances da 58ª Bienal de Veneza (Itália) em 2019, fruto da investigação sobre o som que esses insetos emitem e dos condicionamentos históricos e sociais atrelados à perspectiva humana a respeito desses animais.

A meta-cortina fecha-se ao “invasor” e abre-se aos sentidos.

Deleite-se com um barulho desses.

(Clique nas imagens abaixo para ampliar)

“Pagode Branco”, obra de Vivan Caccuri
Até 31 de março de 2022

Shopping Leblon
Av. Afrânio de Melo Franco, 290, Leblon, Rio de Janeiro, RJ
Segunda a sábado, 10h às 22h; domingo, 12h às 22h
Telefone: (21) 2018-2508



O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA