Retrospectiva PIPA 2021: relembre os principais momentos

A décima segunda edição do Prêmio PIPA foi marcada por mudanças significativas. Dando continuidade às reflexões provocadas pela pandemia desde o início de 2020 – ano em que decidimos adiar a exposição e considerar todos os Finalistas como Vencedores –, tomamos a primeira decisão de 2021: definir um limite de dez anos de carreira para os artistas indicados. Diferentemente dos anos anteriores, em que optávamos por apoiar trajetórias intermediárias, quisemos desta vez fomentar projetos artísticos recentes. Assim, podemos apoiar artistas que ainda não estão completamente estabelecidos no circuito institucional.

Como em 2020, este ano nos trouxe também tempos de luto, isolamento social e mudança de planos em diversos aspectos. Apesar dos desafios, nos esforçamos para manter o incentivo atemporal e contínuo à arte contemporânea brasileira e decidimos, após a redução de casos de Covid-19, realizar a exposição adiada de 2020. Foi muito bom rever parceiros antigos e poder reforçar velhos desejos de ocupar espaços culturais públicos da cidade. Para as mostras deste ano, fomos muito bem recebidos no Paço Imperial, no Rio de Janeiro.

Além do esforço para retomar encontros presenciais, continuamos com o objetivo de oferecer uma janela à arte contemporânea nacional: somamos 534 páginas de artistas e realizamos mais uma edição da Ocupação, desta vez dos Artistas Selecionados.

Preparamos uma retrospectiva dos acontecimentos do Prêmio PIPA 2021 para relembrar alguns dos destaques do ano e desejar um 2022 mais leve e feliz ao nosso público.


Selecionados PIPA 2021

Nesta 12a edição apresentamos mudanças em relação ao formato dos anos anteriores, pois optamos por olhar para a produção de artistas com trajetórias mais recentes. Os artistas participantes de 2021 são aqueles cuja primeira exposição aconteceu no máximo há 10 anos.

Os cinco Artistas Selecionados mostram o quanto a produção artística brasileira é plural, misturando linguagens e saberes heterogêneos, vindo e se desenvolvendo no país como um todo. A seleção foi feita pelo Conselho, após a indicação do Comitê.

São eles:

Castiel Vitorino
Denilson Baniwa
Ilê Sartuzi
Marcela Bonfim
Ventura Profana

Depois de 11 anos premiando artistas mais conhecidos no circuito de arte nacional, em 2021 tivemos uma mudança de recorte. Este ano, todos os cinco foram considerados vencedores, ao contrário de outras edições em que havia apenas um único vencedor. Os cinco Artistas Selecionados pelo Conselho receberam cada um a doação de R$ 10.000 (dez mil reais) e realizaram uma Exposição dos Selecionados no ambiente online, entre 13 de setembro e 16 de outubro.

Veja a Ocupação de cada artista:

OCUPAÇÃO SELECIONADOS 2021: ILÊ SARTUZI
OCUPAÇÃO SELECIONADOS 2021: DENILSON BANIWA
OCUPAÇÃO SELECIONADOS 2021: MARCELA BONFIM
OCUPAÇÃO SELECIONADOS 2021: VENTURA PROFANA
OCUPAÇÃO SELECIONADOS 2021: CASTIEL VITORINO BRASILEIRO

PIPA Online

Após dois turnos de votação, com 59 artistas participando do primeiro e 23 artistas do segundo, e um total de 33,141 mil votos, tivemos as duas vencedoras do PIPA Online 2021 em setembro: Daiara Tukano e Ruth Albernaz. Cada uma recebeu uma doação de R$5.000 (cinco mil reais).

“Morî’ erenkato eseru’ – Cantos para a vida”, 2020, Registro da ativação realizada por Daiara Tukano e Jaider Esbell na exposição Véxoa: nós sabemos na Pinacoteca do Estado de São Paulo, foto de Levi Fanan

“Vôo Xamânico”, 2014, acrílica sobre tela, 80 x 80 cm, Exposição Voos Xamânicos

Exposição dos Vencedores de 2020 e da coleção do Instituto PIPA

De 09 de setembro a 21 de novembro, esteve em cartaz no Paço Imperial do Rio de Janeiro a Exposição dos Vencedores de 2020 e da Coleção do Instituto PIPA, além de uma Apresentação dos Artistas Selecionados de 2021. Na galeria Terreiro e no pátio central do museu, estavam reunidos os quatro vencedores do Prêmio PIPA 2020: Gê VianaMaxwell AlexandreRandolpho Lamonier e Renata Felinto. Ainda na galeria Terreiro, foram apresentados os cinco Artistas Selecionados do Prêmio PIPA 2021, já mencionados.

Em outra galeria do museu, a Praça dos Arcos, o Instituto PIPA mostrou algumas obras que adquiriu e comissionou nos últimos anos, assinadas por artistas contemporâneos brasileiros que fazem parte da história do Prêmio PIPA, como Aleta ValenteAna Frango Elétrico, Ana Paula OliveiraAndré GriffoBarbara WagnerDaniel BeerstecherElias Maroso, Ibã Huni Kuin (Isaías Salles),  Jaider Esbell e Yukie Hori + Inês Bonduki.

Obras adquiridas

Este ano, tivemos o prazer de anunciar aquisições de 6 artistas + 1 dupla de artistas: Ana Frango Elétrico, que entrou na coleção com 3 estampas e uma pintura; Eduardo Berliner, que agora tem mais 5 pinturas na coleção; Ilê Sartuzi integrou a coleção com 3 vídeos e uma instalação; foram adquiridas 3 pinturas de Maxwell Alexandre da série Pardo é Papel, compondo um conjunto com a obra que ele, como um dos vencedores de 2020, doou para a coleção; 7 fotografias de Romy Pocztaruk, finalista do PIPA 2018; duas obras de Elias Maroso, que já fazia parte da coleção Deslocamento com outros dois trabalhos; e a obra “De noite penso no dia, de dia penso na noite / 夜はを思い、は夜を思 う (Yoru ha hiru wo omoi, hiru ha yoru wo omou)”, comissionada e adquirida de Yukie Hori + Inês Bonduki.

Para conferir a coleção Deslocamento, clique aqui.

PIPA Podcast

Em 2021, apresentamos a segunda temporada do PIPA Podcast, com novos convidados e também com o curador do Instituto PIPA, Luiz Camillo Osorio, que já havia participado da primeira. Até o momento, temos mais de 14 mil downloads. Confira aqui todos os episódios.

Textos da coluna de Luiz Camillo Osorio

Além das tradicionais entrevistas com os finalistas do Prêmio, Luiz Camillo Osorio, curador do Instituto PIPA, publicou alguns textos durante este ano. Confira a lista completa de textos aqui.

PIPA de perto

Em abril de 2021, começamos uma série de postagens nos sites e nas redes sociais do Prêmio PIPA, o “PIPA de perto: a(o) artista fala na coleção do Instituto”.

Selecionamos, periodicamente, uma obra adquirida pelo Instituto e pedimos para a(o) artista comentar um pouco sobre o trabalho: seja o processo criativo; a ideia por trás da obra; a conexão com toda a sua produção ou algum outro aspecto que a pessoa deseje compartilhar. O intuito é aproximar o público do universo da(o) artista e da coleção “Deslocamento” do Instituto PIPA, que foi criado em 2010 para apoiar, ajudar a documentar e a promover o desenvolvimento da arte contemporânea brasileira, e que tem o Prêmio como uma de suas iniciativas.

Para acessar todos os posts da série, clique aqui.


Agradecemos aos artistas e ao Comitê de Indicação por fazerem parte desta edição do Prêmio, ao Conselho por mais um ano de parceria e, claro, ao nosso público por acompanhar a missão de incentivar a arte contemporânea brasileira. Um bom 2022 a todes!



O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA