Vista da exposição "Bodas de Prata da Casa", de Jorge Luiz Fonseca

Jorge Luiz Fonseca celebra 25 anos de atividade na arte em “Bodas de Prata da Casa”

Até 18 de janeiro de 2022, o Museu da Inconfidência Mineira, no Centro Histórico de Ouro Preto, apresenta a mostra individual Bodas de Prata da Casa de Jorge Luiz Fonsecaque celebra seus 25 anos de atividade ininterrupta na arte.

Confira abaixo o texto que o artista nos enviou sobre a mostra:

“São 25 obras, 11 das quais inéditas ao público, onde eu traço, de forma autobiográfica, meu percurso na vida e na arte.
Reafirmo meu trabalho e suas principais características: o uso de materiais cotidianos e a estética popular, bem como o romantismo clássico na abordagem, às vezes afetiva e por vezes com ironia (recurso muito usado por mim para ‘bordar’ o diálogo e criar jogos interpretativos) sobre os variados fatos que permeiam a nossa vida cotidiana. Hoje, vendo e analisando meu processo artístico, desde a concepção de uma obra até a sua execução, entendo que um recorrente assunto que abordo é a natureza humana – e suas paixões.

Percebo que a minha obra se insere num contexto ‘moralista’ – filosoficamente falando. Na filosofia, o ‘moralista’ é aquele que se dedica ao estudo da natureza humana.

Gosto de estabelecer metáforas poético/visuais acerca de questões recorrentes, mas muitas vezes decisivas na condução da vida e reveladoras de nossos comportamentos. E vejo também que me especializei em apresentar isso de uma forma simples, direta e acessível a qualquer pessoa…”.

Vista da exposição “Bodas de Prata da Casa”, de Jorge Luiz Fonseca

Jorge também enviou um texto crítico escrito por Leonel Kaz, curador e editor, que está na entrada da exposição. Segundo o artista, apesar do texto não ter sido feito especialmente para a mostra, as palavras o apresentam bem e apresentam bem seu trabalho. Jorge ainda comenta: “Destaco nesse texto a expressão sobre minhas exposições serem ‘parques de diversões artísticos’. Pois é assim que vejo a vida – com seus ‘brinquedos’: ‘Roda gigante’, ‘Bate-Bate’ , ‘Tobogã’ , ‘Trem fantasma’…”.

Leia o texto de Kaz abaixo:

“Jorge Fonseca, mineiro de Conselheiro Lafaiete (hoje morando em Ouro Preto), era maquinista de trem. Quando a locomotiva parava numa estação ou num cruzamento, Jorge debruçava-se sobre um tecido e começava a… bordar. E foi bordando, tricotando e costurando que criou um universo próprio e particular, hoje presente em importantes coleções e museus. Esse universo existe porque Jorge traz em si o olho da rua. Com ele, captura a poética encontrada na vida cotidiana: os jogos populares, as rinhas de brigas de galo, os troféus esportivos transformam-se em pura arte. Assim, suas exposições se tornam formidáveis ‘parque de diversões artísticos’, onde podem ser percebidas referências a Bispo do Rosário ou Leonilson. Ocorre que, diferentemente dos demais, Jorge corta, costura, constrói, pinta, borda e traz para dentro da obra um certo ‘imaginário idílico da nação’: aquilo que, em arte e espírito, somos. Por isso, ainda que diariamente contemplada, cada obra de Jorge permanece surpreendente. A razão é simples: estamos dentro dela. Ela faz parte daquilo em que acreditamos. Ela é o nosso eu, nela”.

Vista da exposição “Bodas de Prata da Casa”, de Jorge Luiz Fonseca

“Bodas de Prata da Casa”, individual de Jorge Luiz Fonseca
Até 18 de janeiro de 2022Museu da Inconfidência – Sala Manoel da Costa Ataíde
Rua Antônio Pereira, 33 – Centro Histórico Ouro Preto/MG – 35400-000
Horário para visitação: de terça a sábado, das 10 às 17 horas
Telefone: +55 (31) 3551-1121/ 5233


O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA