Vista da exposição

“A retórica do poder”: individual de Marcelo Cidade na Galeria Vermelho e em OVR

Até 31 de julho de 2021, a Galeria Vermelho apresenta a nova individual de Marcelo Cidade, A retórica do poder. Na mostra, Cidade reúne novos trabalhos da série de mesmo nome, na qual o artista se apropria das emblemáticas Black Paintings de Frank Stella como base formal para uma crítica ao emprego da arte como estratégia de dominação.

Em 1959, quando os EUA se impunham como império econômico e cultural, o artista norte-americano Frank Stella apresentou sua série Black Paintings no MoMA. Rejeitando as tendências ditadas pelo Expressionismo Abstrato, suas pinturas prepararam o terreno da arte para os artistas do movimento minimalista, que surgiu na década de 1960, e cuja influência se estenderia mais tarde à geração de pintores pós-modernos nas décadas seguintes à sua carreira.

Confira, abaixo, uma das reflexões de Marcelo Cidade, disponível no OVR da exposição:

“Pensei que seria interessante reproduzir o padrão de linhas paralelas do ‘Black Paintings’ do Frank Stella com um produto disponível no mercado. Não o mercado de ações, mas o mercado de 99 centavos. Essas formas minimalistas já estão implícitas no nosso cotidiano, desde a arquitetura hostil, a bolsa de valores e as formas dos prédios espelhados. Comecei a estudar o Frank Stella e percebi que além dos trabalhos terem títulos muito esquisitos, ele também lida com o controle do gesto. Em suas pinturas, o gesto é super controlado e impessoal. Os ‘Black Paintings’ poderiam ser feitos por um robô: todos pretos e repetitivos com formas geométricas totalitárias que te levam a perceber símbolos velados através do jogo geométrico. Isso está presente na série ‘A Retórica do Poder’. Se olharmos para ‘Deus aSSima de todos’, você vê uma cruz de malta, tem uma mensagem subliminar que me interessa e que muito me seduz e que seduz o outro”.

Sobre a base geométrica da série A retórica do poder, Cidade suspende objetos criando uma alegoria à situação política e social que o Brasil vive nos dias de hoje. Cada uma das quatro peças conta com uma narrativa simbólica acerca dos problemas que o país e o mundo atravessam. Em Brasil aSSima de tudo, peça que não participa da exposição, Cidade dispõe uma garrafa de Coca Cola vazia, um tênis Nike usado, uma baioneta e um capacete verde militar, associando assim militarismo e cultura popular.

Para acessar o Online Viewing Room da individual, clique aqui.

“Deus aSSima de todos”, 2021, painel canaletado, suportes metálicos, escapamento de carro

“A retórica do poder”, individual de Marcelo Cidade
De 19 de junho a 31 de julho

Galeria Vermelho
Rua Minas Gerais 350, São Paulo, SP
Terça a sexta, 11 às 19h; Sábados, 11 às 16h
Tel. + 55 11 3138 – 1520



O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA