Pintura Sem Título (Hello art!), 2021, esmalte, óleo e spray sobre tela, 200 x 200 cm

“The Artworld Will Never End”: individual de Alvaro Seixas no Espaço C.A.M.A

(São Paulo, SP)

O Espaço C.A.M.A apresenta a exposição The Artworld Will Never End, de Alvaro Seixas, com abertura em 18 e 19 de junho, e período expositivo de 22 de junho a 24 de julho, 2021. Em sua primeira individual em São Paulo, o artista carioca traz uma nova série de pinturas iniciada durante o período da pandemia. Alvaro continua sua pesquisa crítica e humorada sobre temas como a espetacularização do mercado de arte, a indústria cultural e o fenômeno de celebridade, confrontando imagens apropriadas de mídias sociais com tradições como a ‘Dança da Morte’, gênero artístico-literário medieval. O artista se apropria de recursos fúnebres da história da arte, como Vânitas e Memento Mori, para debater as políticas de poder dentro do sistema cultural e noções de sucesso e espetáculo. O evento é uma iniciativa da galeria carioca Cavalo e acontece na casa da vila modernista Flávio de Carvalho, compartilhada por galerias de diferentes cidades.

As alegorias de ‘Dança da Morte’ (ou ‘Dança Macabra’) possuem figuras animadas de esqueletos humanos personificando a morte e costumavam atentar para a efemeridade da vida. Produzidas sob o impacto da Peste Negra na Europa do século XIV, podem ser encontradas também em túmulos de figuras ilustres como lembrança de que a morte une todas as camadas sociais. Nesse sentido o título da exposição, ‘The Artworld Will Never End’ (ou ‘O sistema de arte nunca irá acabar’, em tradução livre), traz certa ambiguidade. Por um lado, há a confiança esperançosa de que a humanidade não acabará apesar das crises futuras, mas atenta, em compensação, para o fato de que o meio artístico continuará a perpetuar fugacidades oportunistas e estimular a desigualdade entre seus membros.

Críticas jocosas às instituições de arte são frequentes em obras recentes de Alvaro Seixas. Com referências eruditas e vocabulário pop, o pintor e professor universitário satiriza em desenhos, telas e instalações as ambições de estrelato de jovens artistas, curadores, coletivos de arte e galeristas.

Confira, abaixo, uma fala do artista:

“A arte faz parte de um sistema, não está isolada do mundo. Minha postura tem sido elaborar a pintura como avatar de questões críticas, criar imagens e objetos que representem e critiquem a si mesmos”.

Uma das obras fundamentais para o gênero ‘Dança da Morte’ é uma série homônima de gravuras do artista alemão Hans Holbein, O Jovem. Produzidas no século XVI em Basel, cidade que hoje sedia a mais prestigiada feira de arte mundial, essas imagens aparecem redimensionadas na exposição no formato de posters, que dão fundo e dialogam com as pinturas coloridas e matéricas de Alvaro. Nas pinturas individuais há também citações a cânones da arte moderna, como a brasileira Tarsila do Amaral e o belga James Ensor, gestos derivados do expressionismo abstrato, piadas provocativas e personagens cartunescos.

“The Artworld Will Never End”, individual de Alvaro Seixas
Abertura em 18 e 19 de junho; período expositivo: de 22 de junho a 24 de julho, 2o21

Espaço C.A.M.A
Alameda Lorena 1257, casa 4 – Jardim Paulista, São Paulo
Terça a sexta-feira, das 12h às 19h. Sábados, das 11h às 18h
Contato: info@c-a-m-a.com
Instagram @cama.plataforma / @espaco.cama



O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA