"Liberation 4.0", 2018, still do vídeo, 8', edição, 2/5 + 1AP, aquisição/comissionamento

“PIPA de perto: o artista fala na coleção do Instituto” com Daniel Beerstecher

Daniel Beerstecher é o terceiro convidado do novo projeto do Instituto e do Prêmio PIPA, o “PIPA de perto: o artista fala na coleção do Instituto”.  Selecionamos, quinzenalmente, uma obra adquirida pelo Instituto e pedimos para o(a) artista comentar um pouco sobre o trabalho: seja o processo criativo; a ideia por trás da obra; a conexão com toda a sua produção ou algum outro aspecto que a pessoa deseje compartilhar. O intuito é aproximar o público do universo do(a) artista e da coleção “Deslocamento” do Instituto PIPA, que foi criado em 2010 para apoiar, ajudar a documentar e a promover o desenvolvimento da Arte Contemporânea Brasileira, e que tem o Prêmio como uma de suas iniciativas.

O trabalho de Daniel Beerstecher, seja em vídeo, fotografia, instalação, objeto, tem como ponto de partida a colagem. O artista associa ambientes a objetos deslocados de seus contextos originais, previsíveis, e assim constrói novas camadas de sentido, a partir do mergulho no absurdo. Daniel nasceu na Alemanha e viveu vários anos no Brasil, desenvolvendo projetos que unem seu interesse pela natureza com insights a partir da vivência em metrópoles como o Rio de Janeiro e São Paulo, por exemplo. Com uma trajetória de mais de dez anos de trabalho, desde 2012, apresenta seus trabalhos no circuito de arte do Brasil, além de realizar exposições e projetos no exterior.

A obra dele escolhida é “Liberation 4.0”, 2018, vídeo 8′. Dois drones dançam sobre a cidade do Rio de Janeiro. Cada um carrega uma gaiola de pássaros. Eles rodopiam, entrelaçam-se, perdem-se e se encontram novamente em um pas-de-deux inesperado. Mas se o balé dos drones parece propor um cenário idílico, as gaiolas lembram que, para os pássaros forçados a seguir o bailar, a liberdade real é inalcançável. O projeto trata do problema da evolução técnica na era da interconexão digital avançada (também conhecida como Indústria 4.0), e as questões da liberdade individual e da autodeterminação encontram-se no centro do trabalho.

Algumas perguntas levantadas por Beerstecher para o projeto foram: “Quem realmente faz as decisões em um mundo no qual máquinas se comunicam umas com as outras? Com qual critério e nos termos de quem? Quão ‘inteligente’ é o Big Data? Qual é o papel da empatia no contexto dos avanços tecnológicos e da comunicação autônoma? Em última instância, qual é o lugar do humano neste mundo de automação e algoritmos?”.

O Instituto PIPA deu o apoio financeiro inicial à obra, além de ter adquirido uma série de colagens do artista, contribuindo com os custos da produção. Este comissionamento do Instituto foi o começo de sua parceria com artistas indicados ao Prêmio para ajudar a viabilização de projetos artísticos originais. Como o projeto era complexo em sua execução e envolveu ainda o trabalho de diversos técnicos e artistas, além da parceria do Instituto, o artista contou ainda com a ajuda do público via Kickstarter – site de financiamento coletivo – para captar o restante de seu investimento (confira aqui a apresentação completa do projeto na plataforma). Graças ao apoio do público, o valor estimado para financiar o trabalho não só foi atingido, como também superado, e os apoiadores tiveram direito a diversas recompensas, desde cartões-postais com stills do vídeo e colagens feitas pelo artista até os drones usados nas filmagens.

Na época do desenvolvimento do projeto, em 2017, o curador do Instituto PIPA, Luiz Camillo Osorio, comentou sobre o conceito da obra:

“‘Liberação 4.0’ é sobre uma cidade e um paradoxo: beleza e horror; liberdade e aprisionamento; tecnologia, poder e destruição. O trabalho de Daniel Beerstecher está sempre desafiando as convenções sociais e lidando com o assombroso. De uma maneira muito sutil e serena, suas performances e propostas poéticas estão mudando os parâmetros com que abordamos a realidade”.

Confira abaixo o depoimento que o artista nos enviou e, em seguida, um still do vídeo:

“O meu trabalho está conectado com viagens, com o meu deslocamento pelo mundo e com a pergunta: onde vive a liberdade? Já visitei muitas cidades e países e posso dizer sem medo de errar que o Rio de Janeiro é uma das cidades mais impressionantes, belas, mas também contraditórias que conheci. 

Em Liberation 4.0, dois drones voam como pássaros apaixonados e fazem o seu cortejo no ar. Eles coreografam uma dança romântica. O céu, a música e a paisagem arrebatadora da cidade maravilhosa são encantadores. O cenário dá ao espectador a sensação de tranquilidade, liberdade, férias e entretenimento.

As imagens mostram-se, no entanto, romantizadas, ambivalentes. Os drones carregam pássaros em gaiolas. Seria a liberdade apenas um ideal aparentemente tangível?”

“Liberation 4.0”, 2018, still do vídeo, 8′, edição  2/5 + 1AP, aquisição/comissionamento

Visualize, clicando nas imagens para ampliar, as foto colagens adquiridas pelo Instituto PIPA:

Para conhecer mais sobre a coleção do Instituto PIPA, visite o site do Instituto aqui.

Anualmente, os artistas que participam do PIPA são convidados a gravar uma entrevista em vídeo com exclusividade para o Prêmio. Assista, aqui, à entrevista de Daniel em 2016.

Conheça, também, os testes para a concepção do vídeo:

 



O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA