"Replicator", Mad Dog Jones

“Leilões de arte na era digital”: novo episódio do PIPA Podcast com Maura Marvão

No episódio desta semana do PIPA Podcast, conversamos com Maura Marvão, representante da casa de leilões Phillips, a quarta maior leiloeira do mundo, em Portugal e na Espanha. Maura já trabalhou nas Nações Unidas e no New Museum of Contemporary Art, em Nova Iorque, e é fundadora e presidente do núcleo português do National Museum for Women in the Arts de Washington. Ela é especialista em arte do século XX e arte contemporânea. 

Juntam-se à Mariana Casagrande, apresentadora fixa, Lucrécia Vinhaes, membro do Conselho Executivo do Instituto PIPA e coordenadora do Prêmio PIPA, e Luiz Camillo Osorio, curador do Instituto PIPA e professor da PUC-Rio. Os três perguntaram à Maura sobre a trajetória profissional que a levou ao universo da arte e dos leilões; sobre seu trabalho na Phillips; as implicações da pandemia para a leiloeira, assim como a dinâmica dos leilões virtuais; a arte brasileira no mercado internacional, entre outros assuntos. 

Confira, abaixo, uma fala de Maura Marvão durante o episódio:

“Como os leilões são o espelho público do mercado, eles espelham o que está acontecendo no mundo. […] A única forma de se aferir publicamente os valores das obras é através dos leilões, com tudo de bom e de mau que isto tem. Os leilões são públicos, então os resultados também são públicos […]”.

Ouça agora o episódio aqui no site ou acesse nas plataformas de streaming, como Spotify e Apple podcast, além do nosso canal Prêmio PIPA no Youtube.

Os episódios do podcast estão sendo gravados remotamente, por meio de videoconferência. Abaixo, você pode conferir as referências que são feitas durante a conversa.

R E F E R Ê N C I A S

  • Instituições de arte citadas

Preparamos uma lista com seus respectivos links para que se possa conhecer mais sobre elas (em inglês):

New Museum of Contemporary Art

Brooklyn Museum

Royal Academy of Arts

  • Arnold Lehman e Francesco Bonami

– Arnold Lehman é um curador de arte americano e senior advisor na Phillips. Ele foi diretor do Brooklyn Museum e do Baltimore Museum of Art.

– Francesco Bonami é um curador de arte, escritor italiano e senior advisor na Phillips. Ele foi editor da revista Flash Art, curador senior do Museum of Contemporary Art, Chicago, e fez a curadoria da Bienal de Veneza de 2003 e da Bienal Whitney de 2010.

  • Phillips: Gallery One e New Now 

– A Gallery One é uma plataforma de última geração para comprar e vender arte, trazendo semanalmente ao mercado uma nova e recente seleção de trabalhos de qualidade. Obras de arte de preços diversos estreiam na Gallery One New York de quinta-feira a quinta-feira, com abertura e finalização à meia-noite do EST (2 da manhã no horário de Brasília). A partir de abril de 2021, a Phillips também passou a apresentar uma edição de Hong Kong da Gallery One, marcada para abril, maio, outubro e dezembro. Cada lançamento tem duração de uma semana, de quarta a quarta-feira, e oferece uma seleção dinâmica de obras contemporâneas com curadoria rigorosa. Para saber mais, clique aqui (texto em inglês).

– A venda New Now apresenta uma vasta seleção de trabalhos, exibindo artistas em ascensão ao lado de nomes já estabelecidos. Realizado duas vezes ao ano em ambas Nova Iorque e Londres, New Now representa uma oportunidade única para descobrir uma seleção recente de pinturas, trabalhos em papel, fotografias, edições e esculturas de pioneiros e inovadores do século 20 e da arte contemporânea. A New Now de 2021 ocorreu no dia 3 de março, e você pode conferir aqui as obras e os preços pelos quais foram vendidas.

Assista abaixo ao vídeo em que Patrizia Koenig, Head of Sale da New Now New York, faz um tour pela exposição de preview das obras que foram à venda.

  • Relatório da Art Basel e da UBS 

Realizamos, abaixo, uma tradução da definição deste relatório, retirada do site da própria Art Basel:

“A Art Basel e a UBS apresentam The Art Market (O Mercado da Arte), uma análise anual do mercado global da arte. The Art Market cobre todos os aspectos do mercado internacional e destaca os desenvolvimentos mais importantes do ano anterior. Elaborado pelo Dr. Clare McAndrew, fundador do Arts Economics, é um estudo independente e objetivo, analisando o mercado global ao olhar para seus diferentes segmentos, como os negócios de galerias, casas de leilão, mudanças nos padrões da riqueza global e de coleções de arte, feiras de arte, vendas online, e o impacto econômico do mercado de arte em geral”.

Para ler mais sobre o relatório, assim como acessá-lo, em inglês, clique aqui.

Imagem retirada do site da Art Basel

  • Mad Dog Jones e Replicator

Michah Dowbak, conhecido como Mad Dog Jones, é um artista multidisciplinar de Thunder Bay, Ontario, onde ele ainda reside. Seus trabalhos habilmente entrelaçam imagens cyberpunk, distópicas, explorando os temas beleza, natureza e tecnologia. Como amante da natureza selvagem, que nunca esteve presente onde ele cresceu, ele traz uma temática nova para a estética metropolitana, elaborada em tons cítricos e neon de tecnologia, de alguma forma representada como um espaço naturalmente humano. Dowbak conquistou fama no mundo da crypto art com o sucesso recentes de sua série Crash + Burn de obras de arte em NFT.

A obra do artista chamada Replicator foi o primeiro NFT vendido pela casa de leilão Phillips, no valor de US$ 4,1 milhões. O trabalho foi criado de modo a gerar um novo NFT a cada 28 dias. Saiba mais a partir de um trecho de uma matéria online da Forbes:

“A imagem digital traz uma fotocopiadora alojada em um espaço de escritório no centro de Los Angeles, como uma lembrança nostálgica de uma tecnologia que já foi de ponta e agora caminha para a obsolescência. ‘É uma reflexão sobre as formas de inovação revolucionárias do passado e serve como uma metáfora para o contínuo processo de desenvolvimento da tecnologia moderna’, explica o artista.

A obra utiliza a mecânica do contrato inteligente embutido no NFT para criar uma peça Genesis autogerada que continuará a criar NFTs novos e discretos ao longo de, aproximadamente, um ano. A primeira geração, que acabou de ser vendida, produzirá um novo NFT por mês nos próximos seis meses. Cada geração subsequente produzirá uma arte a menos do que a anterior, até atingir a última geração, que não produzirá novos NFTs”.

Para acessar a obra Replicator em movimento, clique aqui. No mesmo link você pode saber mais sobre o artista e assistir a um vídeo em que Rebekah Bowling – Senior Specialist, Head of Day Sale, Afternoon Session – comenta sobre a obra e sobre a escolha da Phillips de levá-la a leilão.

“Replicator”, Mad Dog Jones

 

  • ADIAC

Criada em abril de 2005 como uma associação sem fins lucrativos, a ADIAC-Portugal (Association for the International Divulgation of Contemporary Art) pretende mobilizar colecionadores e amantes de arte contemporânea para promover artistas e a imagem internacional de artistas morando em Portugal ou em países de língua portuguesa. A criação da ADIAC se deu pela percepção, por certos colecionadores, da necessidade de promover artistas de países de língua portuguesa, que atualmente carecem de reconhecimento internacional. A ADIAC realiza, como mencionado durante o episódio do podcast, o Fim de Semana Arte e Alma (Art & Soul weekend), que acontece anualmente e reúne colecionadores estrangeiros e membros da Associação para descobrir diferentes aspectos do cenário artístico de Portugal.

Para ler mais sobre a ADIAC (em inglês), clique aqui.



O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA