Jonas Arrabal, “Os vivos e os mortos”, vista da exposição, 2019, foto de Flávia Mano

Confira páginas e vídeo-entrevistas de artistas participantes do PIPA 2021

As páginas dos artistas indicados ao Prêmio PIPA são gradualmente alimentadas com conteúdo referente aos seus trabalhos. Cada participante tem uma página, na qual há informações sobre sua trajetória, além de imagens, textos e/ou vídeos sobre suas obras. Essas páginas servem como um catálogo da arte contemporânea brasileira e pode ser atualizada pelo artista a qualquer momento.

Neste post, apresentamos páginas de alguns dos 64 nomes do PIPA 2021 para que você saiba mais sobre eles:

Bruno Scharfstein

Descobri a fotografia aos 15 anos, em 1968, período conturbado na história política do Brasil. Fotografar me deu uma mistura de identidade com liberdade. Finalmente, eu gostava de alguma coisa. Hoje, 50 anos depois, percebo meu trabalho intuitivo, faço imagens e vídeos, e guardo numa pasta provisória. Se amadurece, a pasta ganha título. Se tiver densidade, vira livro. Minha história é indissociável das imagens que escolho. Cresci num ambiente de instabilidade emocional, filho de sobreviventes do holocausto. Aceitei a instabilidade como normalidade. Talvez por isso, minha estética busca elementos de inquietude e aleatoriedade, emoções que me impulsionam a elaborar visualmente sobre a peça faltante de um quebra cabeça.

Vídeo produzido pela Do Rio Filmes exclusivamente para o Prêmio PIPA 2021:

Elizabeth Degenszejn

As aspirações de Elizabeth foram definidas pelas expectativas dos seus pais. Expressões de identidade individual foram reprimidas. O conflito entre confinamento e libertação moldou sua vida. Seu trabalho se baseia neste conflito, para transformar propriedades rígidas em possibilidades curvilíneas criando esculturas fluidas e abstratas. Seu trabalho evoca um equilíbrio entre controle e liberdade. ‘Squares’ foi selecionado para a mostra ‘Fresh’ e exibido na Bienal de Cerâmica Britânica, em 2019. Elizabeth está atualmente cursando o mestrado em Cerâmica e Vidro na Royal College of Art, em Londres.

Vídeo produzido pela Do Rio Filmes exclusivamente para o Prêmio PIPA 2021:

Ilan Kelson

Diante do êxtase e do assombro sobre os desígnios da vida e da consciência dolorosa da finitude, o fotógrafo Ilan Kelson percebe a fotografia, com sua promessa de eternidade, como uma forma potente de investigar aquilo que nos é essencial. Aquilo que não podemos nomear, mas apenas perceber, distraidamente no fluxo do tempo, como potência genuína de vida, de transformação contínua da matéria visível e, por conseguinte, do cosmos. Ilan é autor do fotolivro “Tempus Fugit” (Fotô Editorial, 2020).

Vídeo produzido pela Do Rio Filmes exclusivamente para o Prêmio PIPA 2021:

Ilê Sartuzi

Ilê Sartuzi é artista formado pela Universidade de São Paulo (USP). Sua pesquisa envolve objetos escultóricos, projeções de vídeos mapeadas, instalações e peças teatrais abordando questões relativas à imagem idealizada do corpo, muitas vezes fragmentado ou construído a partir de diferentes partes; mas também a ausência dessa figura em espaços proto-arquitetônicos e digitais. O interesse pelas artes dramáticas nos últimos anos conferiu uma teatralidade para os objetos e instalações que são animadas por movimentos mecânicos e interpretam dramaturgias e coreografias.

Vídeo produzido pela Do Rio Filmes exclusivamente para o Prêmio PIPA 2021:

João Paulo Racy

Artista-pesquisador, doutorando em Arte, Sujeito e Cidade e mestre em Arte e Cultura Contemporânea pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Em seus trabalhos, busca articular questões pertinentes à temática da habitação no contexto das cidades contemporâneas, com foco nas problemáticas inerentes às lógicas gentrificadoras que nelas alicerçam o binômio centro-periferia.

Vídeo produzido pela Do Rio Filmes exclusivamente para o Prêmio PIPA 2021:

Jonas Arrabal

Jonas Arrabal é artista visual, graduado em Teoria do Teatro pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) e mestre em Artes Visuais pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Começou sua produção artística em 2011 em diferentes linguagens, como vídeo, instalação e a escultura, em diálogo com o teatro, o cinema e a literatura. Inicia sua pesquisa numa investigação entre a escrita e a voz, elementos que compõem a materialidade dos seus trabalhos, para pensar num gesto escultórico, tensionando outras formas de criação de imagem através da narrativa. Em sua pesquisa poética são pertinentes questões que evidenciam uma outra percepção da temporalidade, numa tentativa de tornar o tempo visível, seja através do próprio processo da construção da obra, seja pela eleição de materiais que evidenciam esse processo de transição, de mudança constante do trabalho. Interessa ao artista como a transformação dos lugares e o desaparecimento contínuo das coisas afetam novas percepções e o surgimento de outras possibilidades. Em seus trabalhos há uma operação que transita entre a invisibilidade e a visibilidade, transições e apagamentos concretos (conscientes ou não) numa aproximação com elementos da natureza, opondo materiais industriais com orgânicos, propondo novas mutações.

Vídeo produzido pela Do Rio Filmes exclusivamente para o Prêmio PIPA 2021:

Renan Teles

Renan Teles, 1986, é artista visual afroindígena. Nasceu e vive em Itaquera, São Paulo – SP. Seu trabalho tem como principal fonte e ferramenta no processo criativo a fotografia. A partir dela, estuda e experimenta a criação de imagens narrativas e seu potencial como instrumento para a arte relacional. Como resultado possui séries bastante distintas, materializadas em fotografia, pintura e outros meios.

Vídeo produzido pela Do Rio Filmes exclusivamente para o Prêmio PIPA 2021:

A cada semana, vamos postar novas páginas e vídeos. Fique de olho!

 



O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA