“Entre Tanto” cria diálogo entre obras de Sérgio Sister, André Ricardo e Bruno Dunley

(São Paulo, SP)

A exposição Entre Tanto, que ocorre na Casa de Cultura do Parque (CCP) de 17 de outubro de 2020 a 28 de fevereiro de 2021, conta com uma seleção de obras em diversos formatos de André Ricardo e Bruno Dunley e com obras que datam desde a década de 1990 até hoje, algumas inéditas, de Sérgio Sister. É criado um diálogo intenso entre gerações e produções por meio do encontro dos trabalhos de Sister com os Ricardo e Dunley, artistas que surgem em meados da década de 2000.

Aparentemente díspares, a exposição aponta, nessa diferença, um encontro de leituras da pintura que se produz em nossos dias com referências na história recente da arte. Claudio Cretti, artista visual, diretor artístico da Casa de Cultura do Parque e idealizador do projeto, comenta a proposta da mostra:

“A ideia de reunir o trabalho de Sister com o de dois jovens pintores, Dunley e Ricardo, para além das particularidades da obra de cada um deles, é instaurar o debate sobre a passagem das questões modernas para a contemporaneidade e como a pintura ainda atualiza as questões da arte em nossos dias”.

No texto de abertura da exposição, o professor e filósofo José Bento Ferreira analisa:

“Para os três artistas, a pintura é uma recusa à condição de coisa. Os quadros são objetos materiais feitos de relações, portadores de certa imaterialidade. A pintura, como toda imagem, não é coisa, é olhar. Ela instaura olhares, produz relações.”

Como explica o release de Entre Tanto, a partir dos anos 70, Sérgio Sister mostra com regularidade sua produção pictórica. Com grande presença no Brasil e no exterior, influenciou gerações de artistas brasileiros. No início da década de 1980 realiza telas abstratas, nas quais alia faixas de cor de tonalidades aproximadas, empregando pinceladas curtas e tintas metálicas, conectando dois ou mais corpos diferentes de cor. Sua produção desde no final da década de 1990 combina pintura e escultura, quando surge as séries Ripas e Caixas, e, mais recentemente, a série Pinturas Entre.

Abaixo, pode-se saber mais sobre a produção de Dunley e Ricardo a partir do texto do release da exposição:

Formar-se tendo Sérgio Sister e outros pintores abstratos como referência não impediu que Bruno Dunley e André Ricardo pintassem a partir de figuras. O flerte com o figurativo não os distrai da pesquisa por relações cromáticas e formais. André Ricardo apresenta lado a lado imagens e campos de cor. Observa formas arquitetônicas, animais, veículos e todo desenho do cotidiano: “Formas feitas para iludir, agradar e seduzir são reduzidas e traduzidas pelo artista. Assumem um aspecto rígido, hierático. Seus contornos e cores tornam-se resplandescentes de modo inteiramente outro que o da visão comum das coisas. O ídolo ressurge como ícone”, examina Ferreira. Não há uma transição abrupta entre figurativo e abstrato para Bruno Dunley: “Ele envolve algumas imagens com espessas nesgas de tinta. Vultos mergulham no espaço. As aparições que povoam suas telas apontam para uma dimensão mítica e arquetípica”, comenta Ferreira sobre o trabalho do artista que traz imagens de arquivos, retratos, memórias e visões oníricas coexistindo com pinturas abstratas e monocromáticas.

“Entre Tanto”, mostra coletiva com Sérgio Sister, André Ricardo e Bruno Dunley
De 17 de outubro de 2020 a 28 de fevereiro de 2021

Casa de Cultura do Parque
Avenida Prof. Fonseca Rodrigues, 1300 | Alto de Pinheiros – São Paulo/SP
Funcionamento: quarta – sexta, das 11:00h às 19:00h; sábados e domingos, das 10h às 18h



O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA