Sede de Luisa Strina reabre para público com individual de Marcius Galan

Nesta terça, dia 04, a Galeria Luisa Strina reabre a sede da galeria para o público com “Fervor”, individual de Marcius Galan. A visita é feita por agendamento de horário [assistente@galerialuisastrina.com.br] e para seguir as recomendações das autoridades de saúde, o horário de visitação será reduzido (das 11h às 16h), com limite de pessoas dentro das salas expositivas e obrigatoriedade de uso de máscara para entrar nos espaços da galeria e do anexo.

O atrito e a oposição entre materiais de naturezas contrárias são o assunto principal da próxima exposição solo de Marcius Galan na galeria, que permanece em cartaz até o dia 26 de setembro. O artista apresenta esculturas inéditas feitas ou finalizadas com materiais que têm uma relação de incompatibilidade entre si, como por exemplo uma superfície áspera e outra lisa, um elemento de alta densidade e outro líquido/fundido.

As obras que dão título à exposição são três esculturas de madeira maciça em que Galan fez um sulco, retirando matéria do topo delas, sobre o qual jogou posteriormente bronze fundido, em maior ou menor quantidade, de modo que o metal derretido queimou parte da madeira ou transbordou o sulco e cobriu parte do hexaedro. Fervor (2020) é, portanto, um trabalho que parte de dois materiais clássicos da escultura para, gerando um atrito corrosivo entre eles, promover uma conversa das incompatibilidades.

Nesta semana, a Galeria Luisa Strina dá continuidade à exposição virtual e física “Nuestra America”, até 26 de setembro, e reabre ao público para individual de Marcius Galan. Nuestra América pode ser vista neste link http://viewingroom.galerialuisastrina.com.br/nuestraamerica, com os seguintes artistas: Alessandro Balteo-Yazbeck, Alfredo Jaar, Anna Maria Maiolino, Bernardo Ortiz, Beto Shwafaty, Carlos Garaicoa, Cildo Meireles, Clarissa Tossin, Eduardo Basualdo, Federico Herrero, Gabriel Sierra, Jorge Macchi, Juan Araujo, Lygia Pape, Magdalena Jitrik, Marcellvs L., Marepe, Mateo López, Matias Duville, Nicolás Paris, Pablo Accinelli, Pedro Motta, Pedro Reyes e Thiago Honório.

Dedicada à história recente do espaço, ela cobre o período de meados dos 2000 até o fim da década de 2010, anos em que Luisa Strina se dedica a estreitar os laços entre o meio artístico brasileiro e aquele dos demais países latino-americanos. Em 2006, havia dois artistas latinos de fora do Brasil no time da galeria: o cubano Carlos Garaicoa e o argentino Jorge Macchi; em 2012, já eram 15 artistas representados.

“Fervor”, individual de Marcius Galan
Curadoria de Tiago de Abreu Pinto
Em cartaz até 26 de setembro

Galeria Luisa Strina
Rua Padre João Manuel 755 Cerqueira César 01411-001 São Paulo SP Brasil
Fone: +55 11 3088–2471
info@galerialuisastrina.com.br



O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA