Veja o vídeo “Nós sempre estivemos em chamas” (2019), de Ivan Grilo

“Nós sempre estivemos em chamas” (2019), de Ivan Grilo. 2’27”

Disponibilizado pela Casa Trinângulo, “Nós sempre estivemos em chamas” (2019), de Ivan Grilo, foi produzido a partir de imagens de dois incêndios icônicos ocorridos no país (do prédio central do Juquery, Franco da Rocha, São Paulo, em dezembro de 2008, e o mais recente do Museu Nacional, no Rio de Janeiro, em setembro de 2018), o vídeo funde duas realidades espaçadas por uma década, como se pertencessem a um único acontecimento: a eterna chama que consome a realidade política sub tropical, uma história que se desfaz como uma coroa de areia, ou talvez pela ação dos regentes que a usam. O vídeo permanece disponível até o dia 14 de maio.

Seguindo na construção da pontuação histórico-documental dos incêndios um recorte sobre o Juquery, o conjunto hospitalar psiquiátrico desativado que teve parte de seu acervo queimado num incêndio há mais de uma década numa madrugada de dezembro. Há relatos que conectam sua estrutura a apagamentos sociais. Há relatos que conectam com práticas da ditadura instaurada em 64. Pouco pode-se afirmar. A Comissão Nacional da Verdade que apuraria essas conexões foi instaurada apenas em 2012, poucos anos depois do incêndio. Apenas sabemos que todos desapareceram, mas ninguém deixou de existir.

Partindo do vídeo, um trabalho documental que pontua uma das peças pertencente ao acervo do Museu Nacional: o fóssil do maior dinossauro carnívoro encontrado em solo brasileiro. O fóssil do Oxalaia Quilonbensis carrega o nome da maior divindade do Candomblé, Oxalá, além da marca do Quilombo onde foi encontrado. Uma curiosa união entre ciência e tradição oral africana, que inicialmente não parecem se conectar. O conjunto é constituído por uma imagem da Ilha do Cajual, um pequeno modelo do relevo da ilha (local onde foi encontrado o fóssil), pela representação gráfica da pangeia (que justificaria a aparição de fosseis similares na costa noroeste da África), além de trechos da tese de apresentação do achado.

 


Tagged:


O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA