PIPA 2019: Uma retrospectiva da décima edição do Prêmio

O Prêmio PIPA completou esse ano o marco de uma década de apoio e incentivo à arte contemporânea brasileira. Em sua décima edição, mudanças significativas foram feitas, mas a nossa missão é a mesma: promover a arte e se consolidar não apenas como um prêmio, mas também como uma importante plataforma de pesquisa da cena atual de arte no país, integrando hoje mais de 400 artistas com páginas biográficas nos sites do Prêmio, que podem ser continuamente atualizadas, e incluem currículos, textos críticos, imagens de obras e vídeo entrevistas exclusivas, em que cada artista fala sobre seu processo criativo, formação, inquietações, desejos e percursos.

Preparamos uma retrospectiva dos acontecimentos do Prêmio PIPA 2019 para relembrar alguns dos destaques do ano e os vencedores de todas as categorias do Prêmio.


O ano foi marcado por importantes transformações na estrutura do Prêmio. Uma delas foi a transferência da Exposição dos Finalistas do MAM para a Villa Aymoré, na Glória, oficializando a parceria entre as duas instituições. 

A exposição aconteceu entre os dias 10 de agosto e 28 de setembro, apresentando o trabalho dos quatro finalistas dessa edição, escolhidos pelo Júri de Premiação. A abertura contou com a presença de mais 700 visitantes e com eventos de abertura realizados pelos próprios finalistas. Berna Reale e Jaime Lauriano fizeram uma fala sobre seus trabalhos e Cabelo realizou uma performance com música, projeção e dança. Já no encerramento, Guerreiro do Divino Amor conversou com a curadora Clarissa Diniz sobre sua produção e futuros projetos, seguido por uma conversa com Luiz Camillo Osorio, curador do Instituto PIPA, e Marcelo Campos, curador do MAR. Também no dia do encerramento da exposição, o catálogo do PIPA 2019 foi lançado e distribuído gratuitamente para os visitantes.

Confira o vídeo da montagem da exposição e algumas fotos dos trabalhos: 

Além do alinhamento entre o PIPA e a Villa, também foram feitas alterações no modelo de premiação. Este ano, cada um dos finalistas recebeu uma doação de R$ 30 mil, e o vencedor, escolhido pelo Júri de Premiação, recebeu uma doação adicional de R$ 30 mil para desenvolver um projeto ou obra a ser apresentado ao Instituto PIPA e ao Júri de Premiação. Esse projeto pode ser uma publicação, uma obra comissionada, uma viagem de pesquisa, uma residência artística, um site, uma exposição etc. A mudança reforça a missão de estimular a arte brasileira e tem como objetivo contribuir para o desenvolvimento e realização de novas propostas de trabalho de interesse do artista. Além disso, nesta edição, o Voto Popular Exposição deixou de contar como uma categoria de premiação. 

 

O Júri de Premiação, composto este ano por Luiz Camillo Osorio, Tadeu Chiarelli, Raphael Fonseca, Regina Silveira e Jessica Gogan, se reuniu no dia 20 de agosto, na Villa Aymoré, para decidir o vencedor do Prêmio PIPA 2019. A decisão do Júri se baseia na análise do portfólio de cada artista e nas obras apresentadas na exposição dos finalistas, na ponderação sobre a importância do prêmio em suas carreira e no projeto proposto a ser desenvolvido com a doação extra caso ganhasse o prêmio.

O vencedor do Prêmio PIPA 2019, escolhido pelo Júri, foi Guerreiro do Divino Amor.

O artista, que explora as superficções – forças ocultas que interferem na construção do território e do imaginário coletivo – apresentou uma instalação com vídeos e painéis luminosos. Dentre os vídeos exibidos estavam, SuperRio, sobre a história e os esteriótipos do Rio de Janeiro; Supercomplexo Metropolitano expandido, que disseca a formação do centro econômico do país e A Cristalização de Brasília, sobre as fantasias, símbolos e intenções políticas envolvidas na construção de Brasília.

Assista ao vídeo de anúncio do vencedor do PIPA 2019:

No PIPA Online, que tem o objetivo de dar visibilidade para artistas fora dos grandes centros e com pouca presença institucional, incluindo todos os artistas indicados que participam a cada ano, também houve houve mudanças: este ano o PIPA Online premiou apenas um artista – o mais votado ao fim do segundo turno de votação. O artista vencedor ganhou R$ 15mil e doou uma obra para o Instituto PIPA. 

O 1º turno do PIPA Online 2019 começou no dia 30 de junho e contou com a participação de 56 dos 67 artistas indicados à décima edição do Prêmio PIPA. Ao fim do dia 07 de julho, quando se encerrou a primeira fase de votação, 14551 votos foram contabilizados e dez artistas obtiveram mais de 500 votos e se classificaram para a segunda etapa. O segundo turno teve início no dia 14 de julho e terminou no dia 21 de julho. Totalizando 1474 votos, o artista Denilson Baniwa  ficou em primeiro lugar e, portanto, foi o vencedor do PIPA Online 2019. Foi a segunda vez na história do PIPA Online que o artista mais votado é oriundo de uma comunidade indígena. Denilson Baniwa se mudou da região do Rio Negro no Amazonas, para Niterói (RJ) e seu trabalho reflete sobre a identidade indígena e os mecanismos de poder (simbólico e político) tradicionais.

Denilson Baniwa foi o vencedor do PIPA Online 2019

O catálogo do PIPA 2019 também sofreu mudanças: foi rediagramado e ganhou ainda mais conteúdo com a adição de entrevistas feitas com os finalistas e o vencedor do PIPA Online, além dos textos críticos exclusivos, os dados sobre os anos anteriores, novos gráficos, imagens, e mais. O catálogo desta e de todas as edições anteriores estão disponíveis para download gratuito no aqui no site.  


O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA