PIPA e Camden Sentido – Ronald Duarte e Vijai Patchineelam

O Instituto PIPA, em parceria com Camden Sentido, exibe uma mostra de vídeos online, com curadoria de Luiz Camillo Osorio, com o tema “Brasil, um país, muitos mundos”. Dez artistas foram selecionados e seus trabalhos estão sendo exibidos em pares de acordo com o tópico descrito abaixo por Camillo. Os vídeos selecionados para a mostra, exclusiva em nosso site, poderão ser vistos entre junho e outubro.

O quinto e último vídeo irá mostrar os trabalhos “Fogo Cruzado”, de Luiz Roque, e “Akinesia” de Vijai Patchineelam.


‘Brasil, um país, muitos mundos’

“Ser um país continental onde coabitam megalópoles como São Paulo e florestas como a amazônica, misturar religiões e etnias, fundir cozinhas e peles, fazer conviver, aos trancos e barrancos, ameríndios e japoneses, negros, pardos e brancos, ser simultaneamente pós-tudo e medieval, faz do Brasil um caldeirão de mundos. Em um momento crítico, no qual o abismo cresceu, cabe aos artistas ser uma voz de atrito e resistência. Um pouco disso aparecerá nessa seleção de artistas, onde todas as geografias se fazem presente e as muitas sensibilidades entram em combustão. Para ganharmos alguma objetividade na determinação das duplas – mantendo a questão de um país, vários mundos e a composição diversidade/adversidade – selecionamos quatro referências conceituais que irão balizar o diálogo entre as duplas. 1: pós-colonialidade e altermodernidade; 2 – religião e política; 3 – tropicalismo e gênero; 4 – conflitos sociais em uma sociedade fraturada.”


Ronald Duarte, “Fogo Cruzado”, 2010. Duração: 3’43”.

&

Vijai Patchineelam, “Akinesia”, 2015. Duração: 09’55”.


Introdução de Luiz Camillo Osorio.

Os vídeos “Akinesia” de Vijai Patchineelam e “Fogo Cruzado” de Ronald Duarte encerram a programação do PIPA para o festival Camden Sentido. Dois artistas cariocas cujas obras nascem da intensidade urbana e dos conflitos sociais que marcam a vida no Rio de Janeiro. Ambos fazem dessa realidade acontecimento visual. Em “Akinesia” a justaposição rápida de imagens vai atacando a percepção como se o nosso olhar estivesse em deslocamento rápido e tendo o cenário ruidoso arranhando a retina. Nada se estabiliza, não há tempo para ver, tudo se mostra de relance. É ainda dentro da vertigem que a vida é jogada. A mesma pulsão está presente no vídeo-performance de Ronald Duarte. Realizado em uma madrugada no bairro carioca de Santa Tereza a trilha de fogo nos trilhos do bonde põe em cena o inadmissível do cotidiano de uma cidade deflagrada – onde a vida vale pouco, especialmente a dos mais pobres e excluídos. A transgressão do inadmissível é a capacidade de transformá-lo em celebração da vida. A performance musical do coletivo Hapax é parte integrante da potência estética e política do filme. Pulsão de morte e pulsão de vida se misturam e os riscos são imensos – é aí que tudo pode acontecer. “Akinésia” e “Fogo Cruzado” produzem com suas imagens o choque que nos tira da letargia paralisante.    

Luiz Camillo Osorio (Curador do Instituto PIPA, ex curador chefe do MAM-­Rio e Diretor do departamento de filosofia da PUC-­Rio).


Ronald Duarte é Mestre em História da Arte com habilitação em Linguagens Visuais, pela UFRJ, Rio de Janeiro, RJ. Nos últimos 20 anos participou de importantes exposições e eventos culturais no Brasil e no Mundo. Faz sua primeira individual em 1999 no IBEU de Copacabana, Rio de Janeiro, RJ, em 2000 expõe no Museu Nacional de Belas Artes, Rio de Janeiro, RJ; em 2001 e 2002 ganha o Prêmio Interferências Urbanas em Santa Teresa, Rio de Janeiro, RJ, com os trabalhos “O Que Rola Vc Vê” e “Fogo Cruzado”; em 2010 participa como convidado da 29ª Bienal de São Paulo, SP, e participa da exposição Afro-Modern na Tate Galery, Liverpool, Reino Unido; em 2011 ganha o Prêmio da Secretaria de Cultura do Rio de Janeiro, RJ, apresenta o trabalho “Peito de Aço” no mesmo ano participa da 4ª Bienal de Porto Santo, no arquipélago da Madeira, Portugal, apresentando o trabalho “O Brilho dos Olhos”; em 2012, Ano do Brasil em Portugal, é convidado como curador e artista no projeto “Tranza Atlântica” em Guimarães, Portugal, Capital Cultural Européia; em 2013 é convidado a participar da Feira do livro de Frankfurt no Ano do Brasil na Alemanha; em 2014 apresenta “Matadouro/Boiada de Ouro”, no Neuen Berliner Kunstverein, Berlim, Alemanha.

Vijai Patchineelam recentemente concluiu a sua participação no Jan van Eyck Academie, nos Países Baixos. Exposições individuais incluem “Resistir o passado, ignorar o futuro e a incapacidade de conter o presente”, no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, RJ (2015), “Ataques Selvagens de Cinismo”, na Galeria Ignacio Liprandi, Buenos Aires, Argentina e “Cut Corner”, Seven Art Gallery, Nova Délhi, Índia (ambas em 2013). Expôs em coletivas como “Panoramas do Sul” no 18º Festival Videobrasil, São Paulo, SP (2013) e “Sarai Reader 09: The Exhibition (Episodes 1 and 2)”, Devi Art Foundation, Nova Délhi, Índia (2012).

***

O Instituto PIPA, em parceria com Camden Sentido, exibe uma mostra de vídeos online, com curadoria de Luiz Camillo Osorio, com o tema “Brasil, um país, muitos mundos”. Os vídeos, exclusivos para nosso site, poderão ser vistos entre junho e outubro. Veja a programação completa.

Camden Sentido é um programa anual de artes organizado pela Borough of Camden, Londres. Para coincidir com os Jogos Para/Olímpicos de 2016 e o São Paulo Arte Bienal, este ano Camden irá destacar todas as coisas do Brasil unindo o espírito do Brasil com o espírito de Camden através dos sons, cheiros, gostos, visões e sentimentos que os conectam. Camden Market será a casa de um programa central que inclui performances, shows, palestras, exposições e workshops de parceiros, incluindo Central Saint Martins, Wembley ao Soweto Foundation, Mais Um Disco, Paredes em Paredes, Argent e Camden Tour Guides. Camden Sentido também irá produzir projetos em parceria com Roundhouse, Latitude, PIPA e a Frieze de Londres.

Os autores e distribuidores dos trabalhos apresentados no pipaprize.com tem direitos exclusivos de reproduzir, distribuir e exposição dos trabalhos.  Nenhum dos vídeos nesse site devem ser baixado, direta ou indiretamente publicado, reproduzido, copiado, armazenado, modificado, vendido, transmitido, redistribuido, projetado, usado de qualquer forma ou redistribuido em qualquer suporte sem a permissão explícita dos autores.


O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA