Novas entrevistas exclusivas: Leticia Ramos, Marcone Moreira, Marlon de Azambuja e Rodrigo Garcia Dutra

Anualmente os artistas que participam do PIPA são convidados a gravar uma entrevista em vídeo com exclusividade para o Prêmio. Com elas conhecemos melhores os artistas, suas carreiras, idéias e motivações. As entrevistas são produzidas pela Matrioska Filmes. Esta semana divulgamos três novas entrevistas com Leticia Ramos, Marcone Moreira, Marlon de Azambuja e Rodrigo Garcia Dutra.

Leticia Ramos

Leticia Ramos passou 6 meses em Portugal pesquisando sobre o terremoto em Lisboa de 1975 e conta que esse acontecimento foi um marco de mudanças na cidade. A artista explica que o trabalho será feito em maior parte com fotografia analógica, impressão em papel de prata e com técnicas históricas e alternativas da fotografia. Ramos vai aproveitar o trabalho para intensificar seus estudos sobre fotografia utilizando técnicas como a fotografia sem câmera, em que a foto acontece e é construída diretamente no papel.

Acesse a página de Leticia Ramos para conhecer mais sobre sua obra, ver outros vídeos e imagens de trabalhos.

Marcone Moreira

Marcone Moreira nasceu no estado do Maranhão e fala da influência do local em seus trabalhos. Ele conta que “Visualidade Ambulante” foi um marco e o fez repensar seu processo de trabalho através da observação e da convivência com os vendedores ambulantes.

Acesse a página de Marcone Moreira para conhecer mais sobre sua obra, ver outros vídeos e imagens de trabalhos.

Marlon de Azambuja

Marlon de Azambuja conta que seus trabalhos surgem de diferentes formas, seja através de algum material específico ou de uma ideia. O artista brasileiro que morou por 11 anos na Alemanha, vem trabalhando a questão da herança cultural e fala sobre um de seus trabalhos em que pinta plantas tropicais de cinza e o processo de renascimento delas.

Acesse a página de Marlon de Azambuja para conhecer mais sobre sua obra, ver outros vídeos e imagens de trabalhos.

Rodrigo Garcia Dutra

Rodrigo Garcia Dutra passou um mês na Amazônia em 2015 numa espécie de centro holístico que misturava meditação, yoga e medicina indígena. O artista fala sobre seu interesse nas relações de plantas de poder – como a ayahuasca, que tomou durante o tempo que passou no centro – com a cultura, a arte e a estética. Ele explica que tenta traduzir essa experiência através de vídeos, pinturas e esculturas a partir de objetos que encontra.

Acesse a página de Rodrigo Garcia Dutra para conhecer mais sobre sua obra, ver outros vídeos e imagens de trabalhos.



O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA