Bruno Dunley, Marina Rheingantz e Paloma Bosquê apresentam “Projeto Piauí”

(São Paulo, SP)

A galeria PIVÔ apresenta, entre os dias 14 de maio e 2 de julho, a mostra “Projeto Piauí” com Bruno Dunley, Marina Rheingantz e Paloma Bosquê.

Pivô_Projeto-Piauí_019-705x470

Em 2014, um grupo formado por Alexandre Canonico, Bruno Dunley, Isabel Diegues, Luis Barbieri, Marina Rheingantz, Mauro Restiffe e Paloma Bosquê começou a planejar uma viagem de imersão. Guiados pela vontade de fazer uma expedição de observação ao interior do Brasil, escolheram o Piauí como destino, um ambiente desconhecido para todos. As pinturas rupestres e a geografia peculiar da remota região foram fatores determinantes para essa escolha: as Serras da Capivara e das Confusões, declaradas Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco, abrigam o maior número de pinturas rupestres do mundo, espalhadas por mais de 600 sítios arqueológicos.

Para além das representações rupestres, cruzar o Sertão do Piauí de carro foi a ideia que seduziu o grupo, que partiu do interior do estado até desembocar na amplitude do mar no Delta do Parnaíba, em uma jornada de doze dias, em junho de 2015.
Na viagem, contaram com a experiência de guias locais para percorrer o território, visitar as formações rochosas e aprender sobre a história dessa parte do Brasil. A experiência de convívio e as travessias da viagem foram intensas, e dessa vivência os artistas destacam o silêncio da região inóspita, a observação do céu, a riqueza da vegetação da caatinga, a luz do sertão, as imensidões planas, a diversidade das formações rochosas, a natureza seca e árida que um dia foi abundante de rios, além do tempo alargado que as pinturas rupestres pré-históricas evidenciam.

Nessa situação de suspensão, os artistas experimentaram de perto a oposição entre natureza e cultura em um contexto e geografia totalmente distintos de sua realidade. Os desdobramentos e impressões dessa experiência serão divididos com o público na exposição que se segue, em que cada artista transmite à sua maneira os vestígios que essa jornada deixou em suas práticas pessoais. Alguns trabalhos foram realizados durante a viagem, usando ou não os materiais encontrados no percurso, e outros feitos já de volta ao ambiente de trabalho de cada um, em que a experiência, tanto da travessia do sertão brasileiro quanto da pesquisa das pinturas rupestres, assume caminhos diversos como fotografias, esculturas, desenhos, pinturas e áudio.

O “Projeto Piauí ” não se apresenta como uma conclusão, uma vez que a viagem não ansiava qualquer objetivo final. As impressões trazidas são resultado de uma desautomatização do olhar de cada viajante e os trabalhos apresentados são fruto da disposição que tiveram para o encontro, antes de qualquer pretensão discursiva. Tomando esse partido, a mostra divide com os visitantes esse exercício de convívio, deslocamento e contemplação a que esse grupo se submeteu, não só durante a viagem, ou em sua preparação, mas também na concepção e montagem da apresentação pública de seu processo.

“Projeto Piauí”, coletiva com Bruno Dunley, Marina Rheingantz e Paloma Bosquê
Abertura: 14 de maio
Em cartaz até 2 de julho
Entrada gratuita

PIVÔ
Edifício Copan, loja 54 – Avenida Ipiranga, 200 | São Paulo, SP
Funcionamento: Terça a sexta: 13h às 20h | Sábado: 13h às 19h
T: +55 11 3255 8703
contato@pivo.org.br



O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA