“Séance Fiction”, coletiva com participação de Tamar Guimarães

(Banff, Canadá)

Tamar Guimarães tem obras expostas, feitas em parceria com Kasper Akhøj, na mostra coletiva “Séance Fiction”Walter Phillips.

“Séance Fiction” é um termo que existe como proposição imaginada. Talvez seja venha de um manual para um futuro ainda não realizado, um catálogo ressurgido, ou um verbete de dicionário escondido; assim é séance, ficção científica, ficção especulativa, assustologia, história alternativa ou história futura. No contexto desta exposição, o termo séance fiction sugere o modo como artistas agem como médiuns do passado e futuro. Ao inserirem a si mesmos em histórias elásticas, os artistas especulam sobre o futuro de uma forma que complica nosso entendimento do presente.

A mostra não está especificamente preocupada com ficção científica ou a forma como esta é trabalhada pelos artistas, mas sim como os princípios de ficção científica são incorporados pela arte contemporânea. Tampouco a mostra é exclusiva a esta personificação, visto que o termo ficção científica também reúne um quarteto de temporalidades. Isso inclui ‘séance’, a convocação do passado; ‘fiction’, algo simulado ou imaginado; ‘science-fiction’, o gênero literário dedicado ao imaginar de cenários futuros. Enfim, “Séance Fiction” debruça-se sobre o interstício, o presente.

Sobre “A família do Capitão Gervásio”:
Por meio de película de 16 mm, Kasper e Tamar captaram na cidade de Palmelo, no interior de Goiás, imagens de sessões de cura no Centro Espírita Luz da Verdade. Fundada em 1929 em torno de um grupo de estudos e um sanatório, hoje Palmelo tem cerca de 2.200 habitantes, cuja grande parte atua como médiums espíritas que, por sua vez, operam como um corpo coletivo de forças complementares. Com as mãos dadas e voltados a um magnetizador, eles praticam a “corrente magnética”, um método usado para tratamento médico que parte de uma noção própria de doença e saúde, ainda em conflito com a noção e métodos da nossa modernidade.

O filme resultante, A familia do Capitão Gervásio, intercala as imagens de Palmelo com outras de detalhes da arquitetura moderna brasileira, gravadas em cidades como Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília. A partir dessa construção, o filme relaciona nossas cidades modernas com as vinte cidades astrais mapeadas no território brasileiro por uma médium de Palmelo e descritas como “iguais àquelas existentes na Terra, mas infinitamente mais perfeitas”. Na projeção ou visão dos próprios artistas, ambas as cidades aspirariam aos mesmos ideais, como uma espécie de ectoplasma ou projeção do porvir. Desse modo, passado, presente e futuro convergem em uma elaborada noção de existência, sonho e realidade.

“Séance Fiction”, mostra coletiva com obras de Tamar Guimarães em parceria com Kasper Akhøj
Em cartaz até 26 de julho

Walter Phillips Gallery
Opening hours: Wednesday to Sunday, 12:30 to 5pm
The Banff Centre, Banff – AB T1L 1H5
T: +1 403-762-6281



O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA