Coletiva “Akakor” recebe obras de Felipe Cohen e Marcius Galan

(São Paulo, SP)

A Baró Galeria recebe a partir de hoje a coletiva “Akakor”, com obras de 20 artistas, incluindo Felipe Cohen e Marcius Galan. A mostra tem curadoria de Kiki Mazzucchelli e Maria do Carmo M. P. de Pontes e reúne atos de charlatanismo no meio artístico.

Akakor é uma exposição que reúne atos de charlatanismo no meio artístico. As curadoras estão interessadas em métodos através dos quais artistas enganaram, iludiram, traíram e enrolaram seu público, usando tais estratégias ora na forma, ora no conteúdo de seus trabalhos – e, muitas vezes, em ambos. Ao escolher o charlatão (isto é, “a pessoa que pretende ou alega ter mais conhecimento ou habilidades do que ele ou ela realmente possui”), como o herói da mostra, as curadoras propõem uma reflexão sobre um assunto que não só é pertinente para a arte, mas urgente para a sociedade.

O título Akakor refere-se a uma cidade subterrânea situada em algum lugar da Amazônia onde, reza a lenda, uma antiga civilização viveu e prosperou há milhares de anos atrás. O curioso é que tudo o que sabemos sobre tal cidade é através do relato de uma única pessoa, chamada Tatunca Nara: um alemão radicado no Brasil e auto proclamado príncipe de Akakor. Sua história é envolta em mistérios, mortes e mitos.

“Akakor”, coletiva com Felipe Cohen e Marcius Galan
Curadoria de Kiki Mazzucchelli e Maria do Carmo M. P. de Pontes
Em cartaz até 23 de maio

Baró Galeria
Galpão
Rua Barra Funda, 216 – Santa Cecília
T: (55 11) 3666 6489
info@barogaleria.com



O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA