“Multitude”, coletiva com Dora Longo Bahia e Lourival Cuquinha

(São Paulo, SP)

O projeto internacional de arte contemporânea “Multitude” reúne exposição, performances e debates em torno do conceito de multidões. O eixo principal é a mostra com mais de 20 obras produzidas em diferentes suportes por nomes como Bruno Vilela, Lourival Cuquinha e Dora Longo Bahia. A curadoria geral é da pesquisadora em artes cênicas Andrea Caruso Saturnino e do artista e pesquisador em novos meios Lucas Bambozzi.

“Multitude” é um acontecimento de arte contemporânea, tendo como ponto de confluência o embate com o termo multidão desenvolvido por Antonio Negri e Michael Hardt desde a publicação de “O Império“ e que se desdobra em uma série de livros e discussões que renovam o entendimento dos movimentos sociais na atualidade. Heterogênea, dispersa, complexa e multidirecional, a multidão vem gerando debate intenso nos campos da sociologia e ciência política, sendo tema também de uma diversidade de obras artísticas nos últimos anos.

Protestos em praças públicas, movimentos ocuppy em grandes centros e as manifestações populares que, desde junho de 2013 proliferaram pelo Brasil, estão se tornando foco de abordagem de trabalhos que incorporam essas questões em seus processos de criação. O projeto enfatiza o conceito negriano de multidão, abordando formas de resistência ao poder instituído por parte dos mais diversos tipos de minorias – sociais, sexuais, raciais. Pensar a multidão é pensar a produção do comum, observando o comum como um conjunto de singularidades, identidades únicas que se afetam mutuamente, em um processo que reúne potências, mas também dissensos.

Montada na área de convivência do Sesc Pompeia, a exposição de arte é o centro do projeto “Multitude”, que abre com uma mostra de 20 obras em vários suportes e meios. Vídeos, filmes, fotografias, instalações, pinturas, performances e sistemas interativos que se referem direta ou indiretamente à multidão em várias localidades do mundo, mostram questões em comum, como apontam distinções culturais e singularidades que resistem a um mundo globalizado.

Os artistas e pesquisadores reunidos abordam a multidão de modo analogamente singular, propondo um campo de pensamento artístico que reverbera as tensões percebidas na sociedade, em diálogo com reflexões políticas, sociais e filosóficas. O conjunto de iniciativas previsto a partir do tema permite a formação de uma rede que se expande com a participação de um público amplo, reunindo artivistas e ativistas em espaços que se ampliam e se cruzam entre ambientes físicos e on-line.

Como bem afirma Negri, lá onde esbarramos nos limites, onde não enxergamos mais alternativas de modo prático, é justamente onde entra a criatividade, a arte – que não tem como não ser revolucionária. Um ano após as manifestações de junho de 2013, em pleno período de questionamentos em torno da representatividade de nossos candidatos ou sobre as prioridades que mobilizam a Copa do Mundo, em face aos mecanismos de opressão civil cada vez mais reforçados, parece-nos pertinente exercitar nossa percepção, arejar as ideias, para seguirmos sempre atentos. Caberia dizer que “Multitude” sugere um “chamamento” para novas formas de entendimento de um contexto histórico.

Participantes: Aernout Mik, Ala Younis, Ana Borralho e João Galante, Ana Claudia Banin e Ivan Soffrdini, Angela Melitopoulos, Maurizia Lazzarato, Blast Theory, Bruno Vilela, Coco Fusco, Coletivo EIA, Davilym Dourado, Diego Castro, Dora Longo Bahia, Etcetera, Fabiana Faleiros, Francis Alÿs, Gabriela Golder, Giselle Beiguelman, Gonzalo Lebrija, Grupo de Estudos e Criação em Performance, Gustavo Ferro, Ines Cardoso, João Gomes, Kinguio CasaArtStudio, Kutlug Ataman, Leandro Kats, Lourival Cuquinha, Mark Wallinger, Martin Oesterfeld, Radamés Ajna e Thiago Hersan, Radek Community, Rodrigo Moreira, Roger Bernat, Sérgio Silva, Sueli Espicalquis, Ximena Cuevas, Zona de Poesia Árida

“Multitude”, com participações de Dora Longo Bahia e Lourival Cuquinha
Em cartaz até 10 de agosto

Sesc Pompeia
Rua Clélia 93, Pompeia
Tel: (11) 3871-7700



O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA