Daily Archives: 2 de agosto de 2014

Diego de Santos fala ao PIPA em entrevista exclusiva

Neste vídeo gravado com exclusividade para o PIPA, Diego de Santos fala de sua relação com a fotografia e outras linguágens como instalação, o vídeo e o objeto.
Responde também à pergunta lançada pela critica e curadora Renata Azambuja: “A sua forma de trabalhar é solitária ou envolve o coletivo?”
Conta que nos nove primeiros anos de sua carreira pensou muito no trabalho de forma solitária, mas há cerca de um ano começou um processo de pesquisa para um trabalho onde pela primeira montou uma equipe para auxilia-lo na pesquisa, no trabalho de campo e na execução.
O projeto, chamado “Lar é onde ele está”, consiste em investigar o conceito de lar no cotidiano dos caminhoneiros, e surgiu da observação de um estacionamento de um supermercado próximo de sua casa.
Assista ao vídeo.

Paulo Nimer Pjota | Artista entrevistado

Paulo Nimer Pjota é natural de São José do Rio Preto, mas vive e trabalha em São Paulo, SP.
Nesta vídeo-entrevista exclusiva, o artista responde à pergunta da critica e curadora Alejandra Muñoz, que indaga: “Em geral, na sua atividade, como começa um novo projeto artístico?”
Pjota responde que seus trabalhos se iniciam de algum conflito pelo qual se interesse ou passe pessoalmente. Um exemplo disso é o trabalho que está desenvolvendo atualmente, intitulado “Art crimes, landscapes”.
O artista explica que esse projeto surgiu de uma viagem à África do Sul quando quase foi assaltado em Joanesburgo quando passeava pelo bairro de Hillbrow, que tem maioria de moradores de origem nigeriana. De volta ao Brasil, passou a estudar a região e descobriu que era uma das áreas mais violentas da cidade. O que deu origem ao trabalho que discute a violência de forma de narrativa “meio irônica”, segundo o próprio.

André Komatsu em exposição no Bronx Museum

(Nova York, EUA) “Beyond the Supersquare” traz um grupo de artistas contemporâneos, cujo trabalho remete ao movimento moderno remanescente da América Latina e do Caribe. A exposição é um olhar sobre os impactos do modernismo na arquitetura, urbanismo e arte.

Últimos dias | “VERBO 2014” – Mostra de performance arte

(São Paulo, SP) Para discutir questões relacionadas às práticas de documentação e registro de ações e de performances, por meio de fotos, vídeos, partituras e proposições, sua autonomia no tempo e o seu status e relevância no sistema da arte atual, o programa da 10ª edição da VERBO conta também com uma exposição de fotos e vídeos, além da 3ª edição do seminário “VERBO Conjugado”. As quatro mesas que integram o seminário foram elaboradas a partir de temas relacionados ao registro e a documentação de performances e ações. Inclui obras e performances de Jonathas de Andrade, Dora Longo Bahia, Lenora de Barros, Rodrigo Braga, Marcelo Cidade, Henrique Cesar, Maurício Ianês, Clara Ianni, Cristiano Lenhardt, Cinthia Marcelle, Fabio Morais, Gisela Motta & Leandro Lima e Carla Zaccagnini.

Últimos dias | “Alimentário: arte e patrimônio alimentar brasileiro”

(Rio de Janeiro, RJ) “A estratégia da curadoria foi exibir um retrato sugestivo de como o universo dos alimentos e da culinária contribuiu para a constituição visual e do imaginário brasileiro de hoje. Mais do que apresentar documentos e obras que contassem a mesma história, o que seria impossível, buscou-se por meio das obras, expor um retrato do universo alimentar brasileiro que fosse fiel no sentido de reproduzir não seus traços externos, mas a pluralidade, a diversidade e até o seu estado de permanente transformação”, afirma o curador Jacopo Crivelli Visconti.

Mostra coletiva “To see what is coming” em cartaz no Rio

(Rio de Janeiro, RJ) Dimensões fantásticas interagem com personagens irreconhecíveis em improvisação existencial absoluta, em formas nascidas do acidente que estendem os limites de transformação do corpo humano. O ciborgue problematiza o pensamento contemporâneo sobre subjetividade, tecnologia, ciência, gênero e sexualidade em suas dicotomias mente/corpo, organismo/máquina, natureza/cultura, humano/animal. Borramos fronteiras entre a filosofia, a ficção científica e a realidade social para construção de uma ilusão ótica. Inclui obras de Daniel Steegmann Mangrané, Gisela Motta & Leandro Lima, Laura Lima, Matheus Rocha Pitta, Pablo Ferretti, Rodolpho Parigi e Luiz Roque.

Últimos dias | Individual de Zezão em galeria paulista

(São Paulo, SP) A produção de Zezão aborda aspectos políticos, sociais e ecológicos, chamando a atenção para temas urbanos urgentes como violência, abandono, poluição e pobreza. O artista começou sua carreira na década de 1990, pintando paredes de canais de esgoto e galerias de águas pluviais, casas abandonadas, becos desertos e vãos de viadutos.

O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA