Ivan Grilo em exposição individual

“Ivan Grilo – Quase/Acervo”
Curadoria de Isabel Sanson Portella

No Museu da República está a exposição “Ivan Grilo – Quase/Acervo”, contemplada pelo Prêmio Funarte Marc Ferrez de Fotografia. Em curadoria de Isabel Sanson Portella, o artista irá replicar na Galeria do Lago uma fração do acervo fotográfico do Museu da República. Ele explica que “esta transposição não se dá de forma fidedigna, e sim através de suportes de baixa visibilidade, no limite do visível”. Para isso ele utilizou impressões em verniz diretamente sobre as paredes do espaço expositivo, e criou velaturas sobre as imagens, “subvertendo a função das caixas de acrílico e molduras comumente utilizados em exposições de cunho histórico”.

Os trabalhos, inéditos e recentes, dão prosseguimento à pesquisa do artista em abordar questões como conservação/fragilidade e reminiscência/apagamento. “À primeira vista ‘Quase/acervo’ pode soar como uma pesquisa de caráter histórico e museológico, entretanto, a exposição não versa sobre as imagens do acervo em si. A exposição busca uma reflexão sobre a delicadeza dos acervos”, explica o artista. “Afinal os materiais como verniz, moldura e acrílico que por definição estariam protegendo, aqui apresentam as nuances da imagem; dessa forma, não estão a proteger coisa alguma, apenas o esquecimento”.

Isabel Portella ressalta que “a imagem direta e imediata não é seu objeto direcionado. Não é mais a identificação e a precisão do registro fotográfico que importa, mas aquilo que está subjacente ao instantâneo captado”. “O suporte, embaçando a visão, cria camadas de percepção que despertam outras leituras. A pesquisa e a experimentação fotográfica ganham força com recursos que trabalham a recepção da imagem. Velar a imagem fotográfica com uma ‘neblina’ gravada em um vidro, subverter a real função de materiais que geralmente servem como suportes, protetores ou molduras para as fotos são alguns focos das pesquisas de Ivan”, conta.

O trabalho “Museu-Verniz” apresenta uma seleção de personalidades da República que aparecem somente em uma tênue silhueta na parede. “Personalidades históricas extremamente importantes para a obra de Grilo como Marc Ferrez, Augusto Malta, Pereira Passos e Afonso Penna entram nesta exposição como lembrança de uma participação fundamental na construção da cidade, mas que hoje são simples imagens semi-apagadas”, comenta a curadora.

Em “Estudo para Álbum”, Ivan Grilo resgata dos arquivos do Museu da República foto documental de Augusto Malta “e seu olhar interessado recai, mais de cem anos após, sobre o momento capturado pelo fotógrafo”. “A cidade construída para a Exposição de 1908 foi fotografada na certeza clara de que aquele momento histórico deveria ser preservado”, explica Isabel Portella. “Como nos álbuns, Ivan Grilo utilizou uma velatura em sua obra, protegendo a foto com acrílico decorado. Não se trata de exibir uma imagem, mas de criar uma camada que impede a identificação, levando assim o espectador a deter-se no que não está sendo visto ou narrado”.

A instalação “Mudança”, com caixas, embalagens, acervos e memórias que também se transformam em novas construções, refaz o trajeto histórico de um momento de transição importante para aquele espaço, quando o Palácio do Catete passa a ser Museu. “O poder executivo de mudança para o Palácio do Planalto em Brasília abre um espaço de transformações. Toda mudança traz em si o recomeço, a reforma, a revisão”, observa a curadora.

Sobre o artista
Ivan Grilo, 1986, Itatiba/SP. Graduado em Artes Visuais pela PUC-Campinas. Em 2013 participa da I Bienal MASP Pirelli de Fotografia. Em 2012 recebeu o Prêmio Funarte Marc Ferrez de Fotografia. Dentre suas principais exposições estão as individuais: “Ninguém”, no Paço das Artes em São Paulo, “Isso é tudo de que preciso me lembrar”, no SESC Campinas, e “A Pausa do Retrato”,na Usina do Gasômetro, Porto Alegre; além das coletivas “2nd Ural Biennial of Contemporary Art”, na Rússia, “16ª Bienal de Cerveira”, em Portugal, e “Arte Pará”, no Museu Histórico do Estado do Pará. Possui obras nas coleções Gilberto Chateaubriand (MAM Rio) e Fundação Bienal de Cerveira (Portugal).

Mais informações na página do artista.

“Ivan Grilo – Quase/Acervo”
Abertura: 13 de julho de 2013, sábado, às 16h
Até 22 de setembro de 2013

Horários
Terça a sexta, das 10h às 12h, e das 13h às 17h
Sábados, domingos e feriados, das 14h às 18h
Entrada franca

Museu da República | Galeria do Lago
Rua do Catete, 153, Rio de Janeiro
mr.galeria@museus.gov.br
21 3235 5160



O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA