“Voilà”, de Thiago Honório

Voilà, de Thiago Honório

Em Voilà o artista Thiago Honório, convidado da 44a Anual de Artes da FAAP, apresenta dois conjuntos de trabalhos realizados no primeiro semestre de 2012 durante o período de residência na Cité Internationale des Arts, em Paris, no âmbito do Programa de Residência Artística da FAAP.

O primeiro trabalho, intitulado Documents, é constituído por uma mesa, cujo tampo é de compensado de madeira, com 6,30 metros lineares de comprimento, 82 cm de largura e 3 cm de espessura, apoiado sobre quatro cavaletes da mesma madeira. Algo próximo de uma bancada, de uma mesa de marcenaria, carpintaria ou mesmo relacionada à construção civil, ao universo do trabalho. Sobre ela, perpendiculares à mesa e desprotegidos de redomas ou vitrines, portanto, ”disponíveis”, apresenta-se um conjunto de serrotes, adagas, facões, punhais, enxadas, serras, cutelos, foices, facas, espadas, cuchilas, abridores de cartas, instrumentos perfurantes, cortantes, dos séculos XVIII, XIX, XX e XXI (aproximadamente 50 deles), que o artista foi “coletanto”, a partir de um foco determinado e ao longo de seis meses, nas suas pesquisas e idas pelas vide-greniers (“vendas de garagem”) e brocantes (“feiras de quinquilharias e de antiguidades”) realizadas nas ruas de diversos bairros de Paris, periféricos e centrais.

Trata-se de trabalho que repõe a problematização de uma espécie de jogo ambivalente entre atração e repelência, presente também em outras obras do artista. Em Documents, a apresentação e a disposição desses instrumentos configuram-se, também, como “documentos”, “atestados”, como “prova do crime”, alhures.

Documents questiona, igualmente, a ideia de trabalho, na medida em que esses instrumentos relacionados ao universo do trabalho – ferramentas deslocadas no tempo e no espaço –, agora destituídos de sua função primeira, jazem sobre a mesa. Uma outra camada de trabalho relacionada a Documents diz respeito a um folheto-mostruário disponível ao público que apresenta uma espécie de diagrama constituído pelo desenho técnico (como geralmente se vê nos manuais de instruções) e esquemático dos objetos cortantes, relacionados a boulevards, vielas, ruas, alamedas, praças, pontes, vilas e bairros de Paris, periféricos e centrais, nos quais foram encontrados.

O artista apresenta, ainda, “33”, um conjunto de desenhos também realizados ao longo do período de sua residência artística em Paris. As imagens elaboradas em cada um dos desenhos resultam da junção de duas folhas de papel, da fenda que as separa. Os desenhos são construídos com a pressão da força da mão exercida no traço realizado com grafite duro sobre a superfície do papel, que se aproxima à marcação sobre a pele de um animal, ou a uma tatuagem, pois o traço fere o papel.
Há, também, neste segundo trabalho, uma espécie de duplo, de “espelhamento”, dado o paralelismo da visão: um espelhamento entre aspas, relativo, pois, embora cada imagem de cada objeto cortante tenha sua silhueta invertida replicada, cada um é um, pois em cada um deles há intensidades e estados de ânimo distintos relacionados à força, à violência e à pressão exercida sobre o traço.

Acesse a página de Thiago Honório para saber mais sobre sua carreira, ver imagens de suas obras e um vídeo entrevista.

Voilà / Thiago Honório
exposição de 13 de novembro de 2012 a 10 de fevereiro de 2013

Museu de Arte Brasileira/ Salão Cultural FAAP
rua Alagoas 903, São Paulo, SP

Horários de funcionamento:
terça a sexta, das 10h às 20h
sábados, domingos e feriados, das 13h às 17h
terça a sexta, das 10h às 20h
sábados, domingos e feriados, das 13h às 17h



O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA