Tagged Referência Galeria de Arte

0

Exposição celebra os 30 anos de trabalho de Rogério Ghomes

(Brasília, DF) O tempo passa – que o diga Rogério Ghomes, indicado ao Prêmio PIPA 2012. Em “Quando tudo deixa de ser”, em cartaz na Referência Galeria de Arte, ele celebra três décadas de trabalho, apresentando os trabalhos e temas mais representativos de sua obra. A curadoria é de Fábio Luchiari, que preferiu organizar as obras em ordem não-cronológica, e a exposição traz ainda trabalhos inéditos do artista, como a série “Árbol” e a obra “Conversas com Platão”.

Projeto CONVERSA traz obras inéditas de João Teófilo e Virgílio Neto

(Brasília, DF) Segundo os organizadores da mostra, o trabalho, que foi todo realizado a partir da mesma premissa, a figura da cabeça humana, demonstra pontos de contato e de distanciamento entre as produções dos dois artistas plásticos, em um diálogo sobre a busca pelo entendimento do sujeito contemporâneo, múltiplo e fragmentado. Para o projeto, o arquiteto João Teófilo e o designer gráfico por formação e mestrando em Poéticas Contemporâneas na Universidade de Brasília, Virgílio Neto, levam as suas mais recentes produções.

João Teófilo e Virgílio Neto discutem os limites da criação em mostra inédita

(Brasília, DF) Segundo os organizadores da mostra, o trabalho, que foi todo realizado a partir da mesma premissa, a figura da cabeça humana, demonstra pontos de contato e de distanciamento entre as produções dos dois artistas plásticos, em um diálogo sobre a busca pelo entendimento do sujeito contemporâneo, múltiplo e fragmentado. Para o projeto, o arquiteto João Teófilo e o designer gráfico por formação e mestrando em Poéticas Contemporâneas na Universidade de Brasília, Virgílio Neto, levam as suas mais recentes produções.

Últimos dias | “HA-gaz-AH”, nova série por Gê Orthof

(Brasília, DF) Para a mostra, foram selecionados seis desenhos, objetos instalados em caixas de acrílico e pequenas intervenções e elementos que fazem uma ponte entre esta nova série e os trabalhos pré-existentes. O ponto central é o chamado Mapa da Instalação. Um painel de técnica mista – que reúne aquarela, desenho e colagem – dá as coordenadas para o início do trabalho. “A criação desse mapa é inerente ao trabalho do Gê e serve como um mote que vai deslizar pela exposição”, afirma a curadora Marilia Panitz. A mostra foi prorrogada até dia 27 de novembro, quando será lançada a coleção de souvenirs inspirados pelas obras de Gê Orthof.

Em cartaz | “HA-gaz-AH”, mostra individual de Gê Orthof

(Brasília, DF) “HA-gaz-AH” é o mais novo trabalho do artista plástico Gê Orthof. A série, formada por objetos, desenhos, mapa e uma instalação, traz para o centro da discussão as relações resultantes da opressão e do fim do diálogo. “De um lado, temos o fósforo, do outro, a ignição e, no centro, o explosivo”, afirma Gê Orthof, que vê na opressão a impossibilidade da conversa e, portanto, o aumento inerente da tensão entre vizinhos e fronteiras.

O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA