Tagged Marta Mestre

0

Abertura | Daniel Steegmann Mangrané e Philippe Van Snick no MAM-Rio

(Rio de Janeiro, RJ) “A exposição enfatizará o jogo entre simultaneidade e dualismo existentes no trabalho dos artistas”, diz Marta Mestre, responsável pela curadoria da exposição. Um dos elementos centrais é a apresentação do trabalho do catalão Daniel Steegmann Mangrané e do belga Philippe Van Snick sobre um conjunto de mesas de madeira, aproximando os artistas e o olhar do visitante.

Encerramento de “Museu do Estrangeiro” | Mostra de Ícaro Lira com curadoria de Marta Mestre

(São Paulo, SP) A mostra é uma investigação artística sobre os vários ciclos de migração que a cidade de São Paulo passou e vem passando. Com foco no bairro do Bom Retiro, o artista apresenta um mapeamento de onde vivem e trabalham as várias colônias de imigrantes, numa tentativa de entender como esses ciclos de migração para o bairro interferiram diretamente na formação atual e na concepção que temos da cidade de São Paulo.

“Ações, estratégias e situações…” propõe novo olhar aos diferentes tipos de acervo do MAM-Rio

(Rio de Janeiro, RJ) “Ações, estratégias e situações…” reúne histórias da arte brasileira e estrangeira que, segundo o artista argentino Luis Camnitzer, devem ser medidas com relógios diferentes, embora tenham em comum a mesma emergência relativamente à modificação dos lugares tradicionais da arte. A mostra, com curadoria de Marta Mestre, propõe reforçar as diversas formas de enunciação da arte para além dos suportes tradicionais (pintura, escultura, etc.), testemunhando o comprometimento do MAM com propostas experimentais a partir dos anos 60.

Últimos dias | “Museu do Estrangeiro”, de Ícaro Lira

(São Paulo, SP) Com curadoria de Marta Mestre, “Museu do Estrangeiro” é parte do Projeto: Bom Retiro, coordenado pelo artista. Trata-se de uma investigação artística sobre os vários ciclos de migração que a cidade de São Paulo passou e vem passando. Com foco no bairro do Bom Retiro, o artista irá apresentar um mapeamento de onde vivem e trabalham as várias colônias de imigrantes, numa tentativa de entender como esses ciclos de migração para o bairro interferiram diretamente na formação atual e na concepção que temos da cidade de São Paulo. Ao longo do projeto, haverá um seminário com críticos, pesquisadores, urbanistas, antropólogos, geógrafos e arqueólogos que colaboraram com a pesquisa.

Veja a programação completa do MAM-Rio

(Rio de Janeiro, RJ) Recém-inaugurada, a mostra “O Fim da Matéria”, de Damián Ortega, conta com uma grande instalação inédita que ocupa o salão monumental do Museu carioca. “O artista altera, decompõe e transforma os objetos, revelando seus componentes implícitos e simbólicos e criando formas híbridas. Em paralelo, conduz uma investigação sobre formas escultóricas fundamentais, como o cubo minimalista construído com materiais banais ou mesmo desconstruído ou deformado.” – explica o curador do MAM-Rio, Luiz Camillo Osorio. Veja esta e outras exposições em cartaz, além da programação educativa e da cinemateca do Museu, que exibe filmes do cinema novo alemão durante o final de semana.

“Poucas e boas…!” traz obras da coleção internacional do MAM-Rio

(Rio de Janeiro, RJ) A coleção de um museu é seu esqueleto, sobre ela o museu se sustenta, se mantém de pé. A coleção do MAM desde o início teve um perfil internacional. No Brasil, apesar de sua preocupação com a identidade brasileira, no fundo o que se pretendia, a partir daí, de uma mítica brasilidade, era a participação no concerto das nações civilizadas – como dizia Mário de Andrade. O MAM, criado no final da década de 1940, partilhou de um momento especial da cultura brasileira, quando essa abertura cosmopolita foi determinante.

“Ações, estratégias e situações nas coleções do MAM” tem curadoria de Marta Mestre

(Rio de Janeiro, RJ) Há, nas coleções do MAM-Rio, um foco na produção de artistas que reinterpretaram o lugar da obra (a sua presença artística), no qual o objeto cede a sua relevância à linguagem ou à experiência. Esta exposição dirige-se a essas problemáticas sem pretender cunhar o termo “conceitual” aos artistas aqui reunidos, mas reunindo diversos materiais que questionam algumas noções aceitas e tradicionais do campo da arte. Ações, estratégias e situações…” reúne histórias da arte brasileira e estrangeira que, segundo o artista argentino Luis Camnitzer, devem ser medidas com relógios diferentes, embora tenham em comum a mesma emergência relativamente à modificação dos lugares tradicionais da arte.

0

Débora Bolsoni participa do PIPA pela terceira vez

Débora Bolsoni foi indicada ao PIPA 2015 e já confirmou sua participação nesta edição. É a terceira vez que ela é indicada. Logo nas duas primeiras edições do Prêmio Bolsoni também fez parte da seleção de artistas indicados pelo Comitê de Indicação. Naquelas edições, a artista carioca concedeu entrevistas exclusivas ao Prêmio, e este ano será convidada a gravar um novo depoimento. Em 2013, Luiz Camilo Osorio escreveu o texto “Desejo de arquivos”, no qual falava da importância da memória, do arquivo, do registro dos acontecimentos, e sobre como os vídeos do PIPA têm essa intenção. Reveja as entrevistas de Bolsoni, e saiba um pouco mais sobre os vídeos do PIPA.

Obras da coleção internacional do MAM-Rio reunidas em exposição

(Rio de Janeiro, RJ) A coleção do MAM desde o início teve um perfil internacional. A ideia de arte moderna tinha na sua origem uma perspectiva universal, de construção de um vocabulário visual e poético no qual as variações locais, os muitos idiomas específicos, se integrariam e se comunicariam, constituindo uma linguagem comum e cosmopolita. “Poucas e Boas…!” reúne obras da coleção internacional do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, com uma seleção de trabalhos que remontam, sem pretensão totalizante, a história da arte do século XX e se articulam com a exposição permanente “Genealogias do Contemporâneo”, em que o foco é arte brasileira.

Últimos dias | “Limiares” – a Coleção Joaquim Paiva no MAM-Rio

(Rio de Janeiro, RJ) Últimos dias da exposição “Limiares” no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Prorrogada até março, a mostra exibe a Coleção Joaquim Paiva, que em 2005, sob a forma de comodato, o MAM passou a abrigar a Coleção Joaquim Paiva que conta atualmente com 1.963 trabalhos de fotógrafos brasileiros e estrangeiros, adquiridos a partir do início dos anos 80. Trata-se de um importante acervo que incorpora diferentes espectros artísticos, desde a fotografia clássica, o retrato, a reportagem, as práticas documentais contemporâneas ou os tangenciamentos da fotografia com as artes visuais.

O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA