Tagged Marcelo Amorim

0

Coletiva com 36 artistas discute a pintura em tempos de Internet

(Rio de Janeiro, RJ) A Caixa Cultural Rio de Janeiro apresenta, neste sábado, a exposição “A luz que vela o corpo é a mesma que revela a tela”, que discute como a pintura, por muitos considerada um artigo “do passado”, ainda é capaz de dialogar com o mundo contemporâneo. Para isso, reúne 36 artistas cuja produção se iniciou no fim dos anos 1990. “O fato de terem suas pesquisas desenvolvidas e afirmadas após o surgimento da internet não é um dado conceitual, e sim um recorte curatorial para investigar um momento específico da história”, explica o curador Bruno Miguel.

0

Marcelo Amorim apresenta pinturas, colagens e vídeos em nova individual

(São Paulo, SP) “Em ‘Maquinal’ Marcelo Amorim não somente explora a relação fetichista dos homens com as máquinas mas, especialmente, revela de maneira sutil mas ao mesmo tempo extremamente contundente, o poder manipulador das imagens técnicas – para utilizar uma expressão de Vilém Flusser – na construção dos valores e estereótipos sociais”, comenta a curadora Priscila Arantes.

Últimos dias | “Pintar a China Agora”, com curadoria de Marcelo Amorim

(São Paulo, SP) A exposição, que tem curadoria de Marcelo Amorim, chama atenção para o fenômeno Outsourcing/ Offshoring: a terceirização e a relocação de instalações industriais em países pobres visando a maximização do lucro. A dupla Brody & Paetau alerta que o mundo das artes não está isento desse problema. Desde 2007, os artistas produzem pinturas utilizando as chamadas “fábricas de pintura” da China: ateliês comerciais que se propõem a pintar imagens no estilo hiperrealista por encomenda e pela internet.

Em cartaz | “Pintar a China Agora”, com curadoria de Marcelo Amorim

(São Paulo, SP) Pintar a China Agora é o primeiro de uma série de trabalhos intitulada “Made in China” que Brody & Paetau vêm desenvolvendo desde 2007, nos quais o uso das chamadas fábricas de pintura é o ponto comum. Fazem parte desta série os trabalhos Respect the leaders (2008), Salvador DaliX (2008), Child Picassos (2008), Wang Bin tortured in commercial quality, high quality and museum quality (2010) e Chinese assistants (2011). Esta última, por fim, mostra autorretratos dos próprios pintores, feitos do modo como desejaram. A dupla parece reencenar, no contexto da arte, práticas que o capitalismo já naturalizou, com o intuito de provocar, quase sempre através da tensão, um novo olhar para essas questões.

“Pintar a China Agora” tem curadoria de Marcelo Amorim

(São Paulo, SP) Desde 2007, a dupla Brody & Paetau produz pinturas utilizando as chamadas “fábricas de pintura” da China: ateliês comerciais que se propõem a pintar imagens no estilo hiperrealista por encomenda e pela internet. A exposição “Pintar a China Agora” conta com 30 pinturas a óleo, no formato 30 x 40cm, com imagens de lesões corporais decorrentes da tortura infligida pelo governo chinês a seus cidadãos. Esse é é o primeiro de uma série de trabalhos intitulada “Made in China” que a dupla vem desenvolvendo há mais de cinco anos e a mostra tem curadoria de Marcelo Amorim.

“Pintar a China Agora” discute o fenômeno Outsourcing/ Offshoring

(São Paulo, SP) A exposição, que tem com curadoria de Marcelo Amorim, chama atenção para o fenômeno Outsourcing/ Offshoring: a terceirização e a relocação de instalações industriais em países pobres visando a maximização do lucro. A dupla Brody & Paetau alerta que o mundo das artes não está isento desse problema. Desde 2007, os artistas produzem pinturas utilizando as chamadas “fábricas de pintura” da China: ateliês comerciais que se propõem a pintar imagens no estilo hiperrealista por encomenda e pela internet.

Mostra coletiva “Figura Humana” se despede do Rio

(Rio de Janeiro, RJ) Diferentes gerações da produção contemporânea brasileira se encontram na mostra “Figura Humana”. Desde pintores da famosa geração 80 até jovens de vinte e poucos anos, os artistas refletem sobre as possibilidades do corpo através de múltiplas linguagens e técnicas, como aquarela, guache, tinta a óleo, acrílica e até mesmo spray sobre bases como madeira, chapa de metal, linho e tela. Camila Soato, Daniel Lannes, Danielle Carcav, Fábio Baroli, Marcelo Amorim, Rodrigo Bivar, Rodrigo Cunha, Thiago Martins de Melo e Vânia Mignone estão entre os participantes.

O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA