Tagged Cildo Meireles

homoludens_luisastrina
0

“Homo Ludens”, coletiva explora o lúdico

(São Paulo, SP) Inspirada no livro homônimo de Johan Huizinga, a mostra busca destacar o caráter lúdico dos trabalhos apresentados, ao invés das questões posteriores de racionalidade e produção. O lúdico aqui entendido como a expressão do jogo artístico, porém não é que o jogo é distinto e fundamental na produção artística, mas é no jogo e pelo jogo que ela se realiza.

DE-2016-Inhotim-WebBanner_Premio PIPA
0

Inscrições abertas para o “Dynamic Encounters” em Inhotim

(Inhotim, Minas Gerais) O Dynamic Encounters considera Inhotim um dos lugares mais apropriados para suas atividades educativas. Além de diversos pavilhões permanentes de artistas de reconhecimento internacional, o acervo da instituição está constantemente com novas obras que se tornam disponíveis ao público pelas exposições temporárias.






Frederico Filippi
0

“Totemonumento”, coletiva com Clara Ianni, Erica Ferrari, Frederico Filippi e Regina Parra

(São Paulo, SP) A exposição toma seu título emprestado de um controverso trabalho de Cildo Meireles realizado no contexto da ditadura militar brasileira em 1970. Tiradentes: totem-monumento ao preso político foi uma ação do artista realizada na semana em que se comemorou a Inconfidência Mineira na qual a figura de Tiradentes foi eleita como heróica pelos militares, transformando-o em um emblema nacional.






Frederico Filippi
0

Abertura | “Totemonumento”, coletiva com Clara Ianni, Erica Ferrari, Frederico Filippi e Regina Parra

(São Paulo, SP) A exposição toma seu título emprestado de um controverso trabalho de Cildo Meireles realizado no contexto da ditadura militar brasileira em 1970. Tiradentes: totem-monumento ao preso político foi uma ação do artista realizada na semana em que se comemorou a Inconfidência Mineira na qual a figura de Tiradentes foi eleita como heróica pelos militares, transformando-o em um emblema nacional.






Hoje | Programação de performances e conversa em torno da “Encruzilhada”

(Rio de Janeiro, RJ) As obras apresentadas estão organizadas em torno de seis núcleos que tratam do espaço físico da encruzilhada – onde acontecem as manifestações políticas, o carnaval, o flerte, o movimento de trânsito e a macumba, e também das situações em que se faz imperativa uma decisão. Hoje, uma programação especial de performances acontece durante todo dia. Uma conversa com os participantes da Agência Transitiva, espaço-veículo para ações e estudos não-convencionais em arte, política e história das ideias, também acontece.






Vivian Caccuri promove Caminhada Silenciosa como parte da mostra “Encruzilhada”

(Rio de Janeiro, RJ) Em “Encruzilhada”, as obras estão organizadas em torno de seis núcleos que tratam do espaço físico da encruzilhada – onde acontecem as manifestações políticas, o carnaval, o flerte, o movimento de trânsito e a macumba, e também das situações em que se faz imperativa uma decisão. Durante o período da exposição, haverá uma programação semanal de performances, encontros e conversas, além de alterações na montagem, resultando em novas vivências do público. Amanhã, uma programação nova de performances será realizada durante a exposição.






Copyright © Instituto Investidor Profissional