Tagged Amelia Toledo

0

A arquitetura de Paulo Mendes da Rocha dialoga com a arte no MuBE

(São Paulo, SP) O Museu Brasileiro da Escultura e Ecologia (MuBE) abre no sábado “Pedra no Céu: Arte e arquitetura de Paulo Mendes da Rocha”. A coletiva busca estabelecer paralelos entre a arte e a obra do arquiteto do MuBE, hoje com 88 anos, reunindo tanto obras de artistas clássicos como Debret, grande referência do arquiteto, quanto de nomes contemporâneos, como os finalistas ao Prêmio PIPA André Komatsu e Daniel Steegmann Mangrané.

0

“Transparência e Reflexo” e a capacidade do olhar

(São Paulo, SP) Nos trabalhos de “Transparência e Reflexo” há sempre um elemento que permanece invisível, inalcançável, mesmo diante de um olhar direto, há algo de impenetrável. As obras em exibição estabelecem uma relação franca e direta com o ar, a atmosfera e o espaço ao redor delas. O invisível se revela e o mundo perde sua concretude.

Berna Reale, Gê Orthof, Grupo EmpreZa e Virgínia de Medeiros em cartaz em Brasília

(Brasília, DF) O curador Marcus Lontra acredita que o visitante vai se surpreender com as obras apresentadas na mostra do Prêmio Marcantonio Vilaça: “Tem muita provocação nesses trabalhos. Porque arte contemporânea é isso. São obras que exigem um diálogo e com isso cada um vai descobrir qual a mensagem, seja de uma maneira poética ou até mesmo óbvia.” No mesmo espaço o público encontra trabalhos de projeto em homenagem à artista Amelia Toledo.

Últimos dias | Mostra coletiva “Contínuo”, com Ana Paula Oliveira

(São Paulo e Ribeirão Preto, SP) Num total de mais de 70 obras, o conceito curatorial de “Contínuo”, além da aproximação de diversas linguagens e artistas de vários períodos, insere a possibilidade de conhecer desdobramentos das recentes pesquisas dos 27 nomes que integram a coletiva. “Trata-se de um panorama dos artistas representados pela galeria”, explica o galerista Marcelo Guarnieri. Em março, durante a ocasião de abertura da unidade de São Paulo, o galerista afirmou, ainda, o desejo em propor um intercâmbio entre as duas unidades.

Mostra coletiva com Ana Paula Oliveira ocupa simultaneamente duas galerias paulistas

(São Paulo e Ribeirão Preto, SP) Num total de mais de 70 obras, o conceito curatorial de “Contínuo”, além da aproximação de diversas linguagens e artistas de vários períodos, insere a possibilidade de conhecer desdobramentos das recentes pesquisas dos 27 nomes que integram a coletiva. “Trata-se de um panorama dos artistas representados pela galeria”, explica o galerista Marcelo Guarnieri. Em março, durante a ocasião de abertura da unidade de São Paulo, o galerista afirmou, ainda, o desejo em propor um intercâmbio entre as duas unidades.

Mostra coletiva “Contínuo” inaugura em Ribeirão Preto | Com Ana Paula Oliveira

(São Paulo e Ribeirão Preto, SP) A mostra coletiva “Contínuo” acontece simultaneamente em galerias nas duas cidades paulistas. Num total de mais de 70 obras, o conceito curatorial de “Contínuo”, além da aproximação de diversas linguagens e artistas de vários períodos, insere a possibilidade de conhecer desdobramentos das recentes pesquisas dos 27 nomes que integram a coletiva. Entre os participantes está a artista Ana Paula Oliveira, que apresenta a obra “Vistaña”.

Amanhã | Inauguração de “Contínuo”, mostra coletiva com Ana Paula Oliveira

(São Paulo, SP) Num total de mais de 70 obras, o conceito curatorial de “Contínuo” – além da aproximação de diversas linguagens e artistas de vários períodos – insere a possibilidade de conhecer desdobramentos das recentes pesquisas dos 27 nomes que integram a coletiva. Ana Paula Oliveira é uma das artistas participantes, e apresenta “Vistaña”, trabalho decorrente de uma série realizada há cerca de 12 anos. Nela Oliveira repensa as dimensões das obras de sua pesquisa em “Harbour View” (2012), ao propor esculturas em pequeno formato.

“30 × Bienal – Transformações na arte brasileira da 1ª à 30ª edição”

(São Paulo, SP) A mostra procura verificar os nexos, contextos, relações e processos que os artistas e obras estabeleceram como momentos determinantes na história da Bienal, da arte brasileira e também internacional.” A Bienal foi sempre, a cada edição, uma mostra da atualidade da produção artística brasileira. Inevitáveis, portanto, as posições em confronto, as relações e as aproximações. ” Paulo Venancio Filho, curador. 111 artistas participam da exposição.

“30 × Bienal” | Última semana

Dentre os 111 artistas participam da exposição estão Antonio Dias, Cinthia Marcelle, Ernesto Neto, José Resende, Laura Lima, Lenora de Barros, Lucia Koch, Lucia Laguna, Marcius Galan, Marilá Dardot, Ricardo Basbaum, Paulo Pasta, Tatiana Blass e Waltércio Caldas.

“30 × Bienal – Transformações na arte brasileira da 1ª à 30ª edição”

(São Paulo, SP) A mostra procura verificar os nexos, contextos, relações e processos que os artistas e obras estabeleceram como momentos determinantes na história da Bienal, da arte brasileira e também internacional. “A Bienal foi sempre, a cada edição, uma mostra da atualidade da produção artística brasileira. Inevitáveis, portanto, as posições em confronto, as relações e as aproximações. ” Paulo Venancio Filho, curador. 111 artistas participam da exposição, que já está em exibição no Ibirapuera.

O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA