Tagged Afonso Tostes

Coletiva e individual lado a lado em galeria paulista

(São Paulo, SP) A Galeria Millan inaugurou duas exposições esta semana. Com curadoria da indicada ao Prêmio PIPA 2010 e 2017 Regina Parra, “Respirar sem oxigênio” explora como o corpo contemporâneo pode se transformar em lugar de potência através do trabalho de 24 artistas, seis deles indicados ao Prêmio PIPA. Já “Miss Natural e outras pinturas” individual da indicada ao Prêmio PIPA 2017 Ana Prata, apresenta cerca de 20 pinturas à óleo.

Coletiva traça panorama da influência do ready made na arte brasileira

(São Paulo, SP) Há exatos 100 anos, Marcel Duchamp colocava um mictório em um museu e declarava que aquilo era arte. O marco motivou a organização de “Ready Made in Brazil”, que começa na segunda que vem no Centro Cultural Fiesp. A exposição cria uma linha do tempo do ready made no país, exibindo obras de artistas como a finalista do Prêmio PIPA 2017 Carla Guagliardi e o vencedor em 2013 Cadu.

0

“Pequenos formatos” leva para a serra fluminense um panorama das artes visuais brasileira

(Petrópolis, RJ) Oriunda das Cidade das Artes, onde foi exposta de dezembro a janeiro, a coletiva “Pequenos Formatos: Dimensão e Escala” agora sobe a serra carioca. Assim, neste sábado, 11 de fevereiro, é hora da mostra idealizada pelo arte clube Jacaranda e curada por Felipe Scovino estrear na galeria A2 + Mul.ti.plo, localizada no Vale das Videiras. A coletiva apresenta “uma panorama de fôlego das artes visuais brasileiras” e conta com obras de 22 artistas, oito deles já indicados ao Prêmio PIPA.

0

Em cartaz | “Cidade Jacaranda Pequenos Formatos”, na Cidade das Artes

(Rio de Janeiro, RJ) Ganhando uma nova data de encerramento – a exposição teria fim neste domingo, 28 de janeiro – , a exposição “Cidade Jacaranda Pequenos Formatos: Dimensão e Escala” continua em cartaz na Cidade das Artes, na Barra da Tijuca. Com estreia paralela à ArtRio Carioca, a coletiva – uma iniciativa da própria feira em parceria com o Jacaranda e a Cidade das Artes – trouxe para um bairro geralmente ignorado pelos circuitos das artes cariocas alguns dos nomes mais interessantes da arte contemporânea nacional.

0

Leilão com obras de 30 artistas acontece na sexta-feira no Arte Clube Jacarandá

(Rio de Janeiro, RJ) Acontece na próxima sexta-feira, 23 de dezembro, o leilão da exposição “Arte como oferenda”. Organizado por três membros do terreiro Ilé Omiojùárò, de Beata de Iyemonjà – os artistas Afonso Tostes e Aderbal Ashogun, do Coletivo Firma Ponto, e Ronald Duarte – o evento tem como objetivo angariar recursos de infraestrutura para o terreiro, além da elaboração de um calendário religioso e cultural para o espaço.

0

Na esteira da ArtRio Carioca, exposição “Cidade Jacaranda Pequenos Formatos” apresenta obras de 23 artistas

(Rio de Janeiro, RJ) Os holofotes do mundo das artes estão todos voltados para a Barra da Tijuca neste fim de semana. Além da ArtRio Carioca, que ocupa o Village Mall a partir da quinta-feira, a Cidade das Artes recebe no sábado, 10 de dezembro, a exposição “Cidade Jacaranda Pequenos Formatos: Dimensão e Escala”. Não é coincidência: a mostra é resultado da parceria do complexo cultural com a plataforma Jacaranda e a própria ArtRio Carioca, que busca fomentar o crescimento do mercado de artes no bairro.

0

Mostra do projeto JACARANDÁ reúne 12 obras inéditas

(Rio de Janeiro, RJ) A exposição relâmpago marca o lançamento do crowdfunding do projeto JACARANDÁ, plataforma multimídia criada para promover e divulgar a arte contemporânea brasileira no circuito internacional. “Ao longo dos próximos dois anos, JACARANDÁ vai lançar oito números da revista e estará presente nas edições das feiras internacionais SP-Arte, ArtRio, NY Art Book Fair, Frieze, Art Basel Miami e ARCo”, afirma João Vergara, diretor-executivo do projeto.

Últimos dias | “Das Amarras”, individual de Afonso Tostes

(Rio de Janeiro, RJ) “Das Amarras” é composta por obras que encontram na Odisséia sua motivação maior: as chamas e as tochas que encerram a Ilíada cedem agora à continuidade da narrativa homérica, cujas palavras desembarcam num novo cenário, talhado entre o céu e o mar, um cenário que (des)abriga Odisseu em suas venturas e desventuras na busca pelo caminho de regresso à casa. A busca de Odisseu é também a busca de Homero em revelar essa poesia e o quanto ela tem de sonho e invenção. Na tradução de Afonso Tostes para as palavras épicas de Homero, a realidade de Odisseu só se completa quando se completa o seu cenário, acrescentando à paisagem os traços de seu engenho e as marcas da sua arte.

Em cartaz | “Das Amarras”, individual de Afonso Tostes

(Rio de Janeiro, RJ) Em seu trabalho anterior, “Tronco”, Afonso Tostes incluiu uma série de nove pinturas a óleo dedicadas às imagens do fogo e da fogueira, fazendo alusão ao seu uso ancestral como signo de comunicação entre os homens. A imagem seminal do fogo fora então colhida de sua cena mais remota, sua primeira pintura, delineada pelas palavras de Homero, de onde o artista viu irromper a imagem e a ideia da chama como sinal e anúncio da vitória dos gregos em Troia. A visita a Homero desdobra-se agora nesta nova série, “Das Amarras”, composta por obras que encontram na Odisséia sua motivação maior: as chamas e as tochas que encerram a Ilíada cedem agora à continuidade da narrativa homérica, cujas palavras desembarcam num novo cenário, talhado entre o céu e o mar, um cenário que (des)abriga Odisseu em suas venturas e desventuras na busca pelo caminho de regresso à casa.

O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA