Luísa Nóbrega

São Paulo, SP, 1984.

Indicada ao Prêmio PIPA 2016 e 2017.

Luísa Nóbrega é artista e seu trabalho se desenrola na zona fronteiriça entre diferentes linguagens artísticas. Borrando a ronteira entre performance, vídeo, som e literatura, investiga as zonas de atrito entre corpo e linguagem, biologia e cultura, voz e identidade. Tem certa obsessão por situações que provocam aporias linguísticas, como o ventriloquismo, a parapsicologia e a possessão.

Paulistana, Bacharel em Filosofia pela Universidade de São Paulo, não tem morada fixa e divide seu tempo entre residências artísticas e casas de amigos em diferentes partes do Brasil e do mundo. Fez residências em países como México, Guatemala, Islândia, Polônia, Armênia, Ucrânia e Lituânia e participou de exposições como Dias úteis, no Projeto Parede, no Museu de Arte Moderna em São Paulo, Turborealism, breaking ground em Donetsk, Ucrânia, e City as Process, projeto paralelo da Bienal lndustrial Ural em Ekaterinsburg, Rússia. Foi integrante do grupo de música contemporânea menagerie, que integra o projeto Al revés, no qual desenvolvia uma pesquisa de improvisação vocal. É poeta e atualmente prepara quero ser meu lobisomem, sua primeira antologia de poemas.

Site: luisanobrega.com

Vídeo produzido pela Matrioska Filmes, exclusivamente para o PIPA 2016:




Posts relacionados


O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA