Bruno Faria

(ultima atualização em julho/2018)

Recife, PE, 1981.
Vive e trabalha em Recife, PE.

Representado pela Periscópio Arte Contemporânea.

Indicado ao Prêmio PIPA em 2012 e 2018.

Mestre em Poéticas Visuais pela Escola de Belas Artes da UFMG, desenvolve trabalhos em diferentes mídias, como desenho, escultura, instalação, intervenção e publicação. Seus projetos partem de contextos específicos e pesquisas históricas para revelar um olhar crítico sobre a arte, a história, a arquitetura e a cidade. Entre suas individuais destacam-se “Versão Oficial” (2017), curadoria de Pablo León de la Barra e Raphael Fonseca, MAC–Niterói, RJ; “Assalto Olímpico” (2016), Centro Cultural São Paulo, São Paulo, SP; e “Onde Estão as Minhas Obras?” (2017), curadoria de Clarissa Diniz, MAMAM, Recife, PE. Entre suas coletivas destacam-se “Há escolas que são gaiolas e há escolas que são asas” (2014), Museu de Arte do Rio (MAR), curadoria de Paulo Herkenhoff e Janaína Melo, Rio de Janeiro, RJ; “Metrô de Superfície II”(2013), curadoria de Bitu Cassundé e Clarissa Diniz , Centro Cultural São Paulo, São Paulo, SP; e “Itinerários, Itinerâncias: 32º Panorama da Arte Brasileira” (2011), curadoria de Cauê Alves e Cristiana Tejo, MAM-SP, São Paulo, SP.

Site: www.brunofaria.org



Posts relacionados


O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA