Vicente de Mello

São Paulo, SP, 1967.
Vive e trabalha no Rio de Janeiro, RJ.

Representado pela Galeria Eduardo Fernandes.

Indicado ao Prêmio PIPA 2017.

Vicente de Mello formou-se em Comunicação Social pela Universidade Estácio de Sá e especializou-se em História da Arte e Arquitetura no Brasil, pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro – PUC/RJ. Trabalhou no Departamento de Fotografia do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro – MAM-RJ, de 1989 à 1998. Têm sua pesquisa fotográfica, apresentada desde 1992, com a criação de séries como: Topografia Imaginária (1994 -1997), Os negativos estão em meu poder (1992 – 2016), Moiré (1995), Noite americana (1998 – 2014), Bestiário (1997), Vermelhos telúricos (2001 – 2016), Galáctica (2000 – 2016), Herbária (2009), SLIDETRIP (2001 – 2013), O Cinematógrafo (2009 – 2015), Quantas ASAS tem um Pixel? (2007 – 2105), STROBO ( 2009), Pli selon pli (2010), Orquestra de trombones (2010), Silent City (2012), Lapidus (2013), Opere (2013), Sete dias (2014), Ultramarino(2015), Fugitivo / Pequod (2015), Zoom Cabinet (2106), Notlim Olhetob (2106). Em 2007, foi ganhador do Prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) de melhor exposição de fotografia do ano em São Paulo, na Pinacoteca do Estado com a mostra moiré.galáctica.bestiário / Vicente de Mello – Photographies 1995-2006. Em 2012, foi o primeiro brasileiro a ser convidado a participar da residência de artista no Espace Photographie Contretype, em Bruxelas, Bélgica. Apresentou a série Silent City, resultado desta residência, em maio de 2013, nas galerias da Contretype e no livro Bruxelles à l’ infini. Em 2015 foi ganhador do Prêmio Centro Cultural Banco do Brasil Contemporâneo, apresentando a instalação Ultramarino.

Vídeo produzido pela Do Rio Filmes, exclusivamente para o Prêmio PIPA 2017:


O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA