Exposição Prêmio PIPA 2016

A exposição da sétima edição do Prêmio PIPA aconteceu no MAM-Rio entre os dias 03 de setembro e 13 de novembro e apresentou obras dos quatro artistas finalistas de 2016, Clara Ianni, Gustavo Speridião e Luiza Baldan e Paulo Nazareth.

Sobre os finalistas em 2016, Luiz Camillo Osorio afirma: “São quatro artistas com poéticas contundentes, diversificadas e de alta intensidade política. Em um país e um mundo convulsionados por crises e desafios político ­civilizatórios, o que se espera da arte é, no mínimo, é compromisso sem adesão com o momento”.

Clara Ianni, cuja pesquisa de doutorado em Artes Visuais na USP é focada na relação entre arte e política, mostra o vídeo-instalação “Círculo” (2014-2016). A obra consiste em um documentário em vídeo sobre uma manifestação contra a Copa do Mundo pelas ruas de São Paulo em 2014. Nela, a polícia usa a técnica Caldeirão de Hamburgo, onde confina a multidão em determinada área através de uma formação circular. “A ideia do trabalho é fazer-nos pensar sobre a forma do círculo e suas diversas aplicações”, diz Clara. A artista aplica um círculo em vinil no chão do museu, onde o espectador assiste o filme e pode se sentir confinado dentro de um caldeirão. A artista também faz a analogia do círculo de Hamburgo com os avisos típicos dos museus que indicam a distância mínima de aproximação diante de uma obra de arte.

Clara Ianni. "Círculo". 2014 - 2016.

Clara Ianni. “Círculo”. 2014 – 2016.

Gustavo Speridião é, provavelmente, o artista entre os finalistas cuja pegada política é mais explícita. Na exposição, ele exibiu a pintura-instalação “Fora” (2013), uma tela de 6,5 metros grampeada na parede, onde palavras ocupam o plano pictórico de maneira a emular uma bandeira de protesto ou um caderno de anotações políticas. Sobre o processo do trabalho, Speridião afirma que a pintura nasceu de um material de “lágrimas, sangue, suor e nanquim”.

Gustavo Speridião. "Fora". 2013.

Gustavo Speridião. “Fora”. 2013.

“Todo mundo tem um perfil muito político. Talvez na obra de Baldan essa abordagem seja menos óbvia, mas ela pode ser encontrada na forma como ela explora a arquitetura“, comenta Osorio sobre mais uma finalista ao Prêmio PIPA 2016, Luiza Baldan. Na videoinstalação “Perabé” (2014-2015), a artista apresenta uma narrativa contemporânea sobre sua relação com as cidades em que viveu. “São Paulo foi a primeira cidade onde eu morei, por um curto período de tempo, que não está na costa, e eu percebi o quanto eu sinto falta do mar na minha relação com a cidade.” Trata-se de uma coleção de fotografias e um texto escrito pelo artista, lido a quatro vozes através de quatro canais de som separados.

Luiza ainda constrói uma ponte de sua produção com o do último finalista e vencedor do Prêmio PIPA 2016, Paulo Nazareth: “[seu trabalho] tem uma pegada completamente diferente do meu, mas tem essa coisa do deslocamento, da errância. De você de alguma forma ir construindo coisas que você coleta e vai encontrando ao longo do caminho”.

Luiza Baldan. "Perabé". 2014-2015.

Luiza Baldan. “Perabé”. 2014-2015.

Vencedor do Prêmio PIPA e do Voto Popular 2016, Paulo Nazareth tem viajado longas distâncias a pé: da aldeia de Caiová para Nova York, de Miami a Mumbai. Entre os muitos destinos curiosos, ele apresenta a série “Produtos de Genocídio” (2015-2016), um instalação que reúne em um mesmo grupo objetos “já feitos”, serigrafias, gravuras, e um vídeo. A série reflete sobre o extermínio das populações indígenas e a apropriação de elementos de sua cultura como bens de consumo. Falando sobre a exposição como um todo, Nazareth observa: “Eu não sei como nossas obras vão dialogar, ao mesmo tempo que estamos dialogando por estarmos vivendo o mesmo no tempo. Cada um de nós com sua história e sua maneira de encarar esse momento histórico atual”.

Paulo Nazareth. "Produtos de Genocídio". 2015-2016.

Paulo Nazareth. “Produtos de Genocídio”. 2015-2016.

A exposição do PIPA acontece sempre no MAM-Rio, que fica na Av. Infante Dom Henrique, 85 – Parque do Flamengo.

Assista ao vídeo da montagem com a participação dos finalistas contando sobre as obras na exposição:

 


O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA