Ana Elisa Egreja

(ultima atualização em julho/2018)

São Paulo, SP, 1983.
Vive e trabalha em São Paulo, SP.

Representada pela Galeria Leme.

Indicada ao Prêmio PIPA 2018.

Ana Elisa Egreja pesquisa ativamente a representação na pintura. Marcadas pela composição complexa e a reprodução minuciosa de materiais e texturas, suas telas materializam cenas fantásticas nas quais as ideias de domesticidade e de abandono, a presença arquitetônica e os gêneros clássicos da história da arte, como a natureza morta e a pintura de interior, são alguns dos vértices de sua pesquisa. Na série mais recente Jacarezinho 92, retrata instalações encenadas na casa modernista onde os avós viveram, e que, vazia, lhe serviu de ateliê por dez anos. O trabalho tem origem no convívio com as memórias guardadas na arquitetura da casa, os traços de presença familiar e o silêncio dos interiores abandonados. Os processos subjacentes à série levam a ideia de encenação a novos patamares, envolvendo um esforço de produção e montagem que remete, pela complexidade, ao procedimento cinematográfico. Formada em Artes Plásticas pela Fundação Armando Álvares Penteado, foi premiada no 32º Salão de Arte Contemporânea de Ribeirão Preto (SP, 2007), 15º Salão da Bahia (MAM-BA, Salvador, 2008). Dentre as últimas exposições se destacam “Arte Atual/Da Banalidade: vol.1”, curadoria Paulo Myada, Instituto Tomie Ohtake, São Paulo, Brasil (2016); 20º Festival de Arte Contemporânea SescVideobrasil (2017) e “Through the looking glass” (2017), Palazzo Capris, Turim, Itália. Suas obras integram a Coleção Santander, Brasil, Franks-Suss Collection (Londres) e os acervos do Museu de Arte Moderna da Bahia,Museu de Arte do Rio e Pinacoteca do Estado de São Paulo.

Vídeo produzido pela Do Rio Filmes exclusivamente para o Prêmio PIPA 2018:


O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA