“A quem devo pagar minha indulgência?”, terceira individual de André Griffo na Galeria Athena

(Rio de Janeiro, RJ)

André Griffo, indicado ao Prêmio PIPA 2019, traz um conjunto de pinturas inéditas para a mostra “A quem devo pagar minha indulgência?”. A exposição é a terceira individual do artista na Galeria Athena, e o tema da vez é a oposição entre religião e questões sociais. São ao todo 11 pinturas que ocupam todo o espaço expositivo da galeria.

As obras foram produzidas neste ano e são o resultado da pesquisa de Griffo que relaciona questões sociais à História da Arte e da Arquitetura. Alguns dos temas centrais dos trabalhos são religião, poder e violência. Como explicado no release, as pinturas escolhidas especialmente para a exposição demonstram o interesse de Griffo pela apropriação de espaços que, mesmo que não se revelem identificáveis em um primeiro olhar, são criados e impregnados de elementos contemporâneos. O artista recria desde lugares inabitados; de passagem, até pinturas ícones da História da Arte ocidental, que são recontextualizadas para a conjuntura atual.

Segundo André Griffo em declaração para o release da mostra, em suas obras: “ao cruzar informações, tento falar sobre a estrutura social e religiosa, eventos políticos recentes, e, principalmente, valores historicamente consolidados”. Na galeria, na sala Cubo, estão dispostas sete grandes pinturas cujos títulos dizem respeito ao enfoque que o artista escolheu: poder, glória, pecado, começo e fim, sorte e azar, entre outros. Esses temas fazem parte de elementos que perpassam a religião e que na mostra recebem um tom crítico e de contestação. Em outra sala, estão quatro pinturas da série “Anunciação Vazia”, em que o artista faz uma releitura dos tradicionais afrescos da Anunciação do pintor renascentista Fra Angélico.

A pintura que dá nome à exposição, “A quem devo pagar minha indulgência?”, retrata um espaço público do dia a dia em que a pergunta está pichada na parede. A venda de indulgências era feita pela Igreja Católica que, durante a Idade Média, era extremamente poderosa política e economicamente, então concedia o perdão divino a qualquer pessoa que pagasse por isso. Griffo traz essa questão para o contexto atual, levantando uma reflexão sobre a quais poderes e controles sociais estamos submetidos diariamente. Ele faz isso resignificando lugares afetados pela passagem do tempo, colocando neles elementos contemporâneos que se relacionam com os problemas e com as questões diárias. Diversos símbolos aparecem em sua obra, como o brasão da Polícia Civil e punhos com armas, que fazem alusão à segurança pública e à violência. Já quanto à religião, há oratórios e imagens de pastores, ao mesmo tempo em que anúncios de programas com prostitutas estão colados nas paredes do ambiente retratado. Essa e outras obras estarão disponíveis para visitação na Galeria até 19 de outubro. 

 

“A quem devo pagar minha indulgência?”, individual de André Griffo
De 12 de setembro a 19 de outubro

Galeria Athena
Rua Estácio Coimbra, 50, Botafogo, Rio de Janeiro , RJ
Terça a sexta-feira, das 11h às 19h, sábado, das 12h às 17h
Telefone: (21) 2513-0703
Entrada gratuita



O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA