“qual”, terceira individual de Laura Lima na Galeria Luisa Strina

(São Paulo, SP)

Laura Lima traz um grupo de novas obras para a Galeria Luisa Strina na sua terceira individual no espaço, a mostra “qual”. Segundo o release, essas novas obras contam com “materiais que se transformam, que impactam o ambiente expositivo de maneira multissensorial e evocam o imaginário fotográfico”. A exposição, que teve sua abertura na última terça-feira, dia 24 de setembro, também traz um texto-obra de Daniela Castro / Deleuze Was Wrong.

Todos os trabalhos expostos são suspensos. Essa escolha de modo de apresentar foi feito por conta da transparência e delicadeza das obras, mas também pelo caráter questionador com que a artista encara tudo que é entendido como “tradição” na história da arte. As obras da série “Ágrafo”, começada em 2015, são peças tridimensionais e quase todas são mostradas da mesma maneira, e estarem suspensas possibilita que sejam vistas de múltiplos ângulos, mas, além disso, também é uma ação contrária à tradição de expor esculturas a partir do chão.

Tule e gelo seco são a matéria prima das obras da exposição. Como dito pelo release, o primeiro material é frágil e imaculado, e o segundo é instável e mutante. Há um diálogo que acontece entre as novas obras e os chamados “Wrong Drawings”, que são feitos de algodão e carvão, através da ideia de contaminação e de que um ameaça o outro. Já nas instaurações de HOMEM=CARNE / MULHER=CARNE, Laura trabalha com a ideia de seres humanos como matéria escultórica.

As obras também carregam o que foi chamado de “materialidade fantasmática” e são fruto dos pensamentos da artista acerca do desenho, que são desfocados pelo efeito do gelo seco. Segundo o release, outras duas obras da artista conversam com essa ideia: “Fumoir” (2009/2017), que corrompe as regras museológicas e permite que as obras sejam contempladas envoltas em fumaça de charuto; e “Lugares Colagens”, uma série de obras-fotografias em que elementos desfocados ou esfumaçados ocupam ambientes art nouveau ao quais não pertencem. A “qual” é cercada de mistério por conta da iluminação rebaixada que impera no espaço e da fumaça, elementos que confundem a visão que se tem das obras com tule, por exemplo. Os trabalhos não têm títulos individuais, pois todos fazem parte da série “Levianes”. 

“qual”, individual de Laura Lima
25 de setembro a 9 de novembro, 2019

Galeria Luisa Strina
Rua Padre João Manuel 755, Cerqueira César, 01411-001, São Paulo, SP
De segunda a sexta, das 10h às 19h, e sábados, das 10h às 17h.
Telefone: (11) 3088–2471



O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA