Duas exposições paralelas de artistas PIPA no Centro Municipal de Artes Hélio Oiticica

(Rio de Janeiro, RJ)

Através de propostas selecionadas via edital lançado ainda em 2018, o CMAHO promove, do dia 03 de agosto a 28 de setembro, a realização de seis exposições no Centro Municipal de Artes Hélio Oiticica propostas por coletivos e artistas, duas dessas de artistas PIPA. “Aberta Residência” do coletivo feminino Aberta, “O Agro não é Pop – Resistência no Brasil Indígena” de Denilson Baniwa, vencedor do PIPA Online 2019, “Fluxos” de Luiz Baltar, e “Gentrilogy – Trilogia da Gentrificação” de Laura Burocco, “Formas” de Marina de Aguiar, Manuela Leite e Vitória Cribb e “Complexo da Pedreira” de Paulo Vinícius.

“O Agro não é Pop – Resistência no Brasil Indígena”

A Exposição de pinturas acrílicas sobre tecidos do artista plástico Denilson Baniwa, vencedor do PIPA Online 2019, promove, através de sua arte, uma crítica contundente ao crescimento vertiginoso do chamado “agronegócio”, ao mesmo tempo em que celebra o papel daqueles que, em seu entender, são os únicos que resistem à sua expansão: nossos povos originários; nações e atores indígenas que não estão esquecidos em um passado idílico, mas inseridos no mundo contemporâneo e se valendo das estratégias de luta que estão colocadas ao seu alcance.

“Aberta Residência” , com curadoria de Geisa Lino, recebe cinco artistas propositoras do coletivo Aberta, Anitta Boa Vida, Bia Martins, Emilia Estrada, Pri Fizsman e Rafaele Ferreira. Elas participam da mostra, que pensaram e contribuíram com suas “corpas”, vozes e linguagens e retornam apresentando o desfecho das experimentações realizadas no mesmo espaço. Marta Supernova, Agrippina R. Manhattan, Max Wylla Morais, Daniel Santiso, Anis Aura Aguiar, Marcelo Bracarense e TheoS são alguns dos colaboradores das articulações de processos artísticos, encontros, debates e pensamentos que foram reunidos ao longo da vivência e se tornam matéria base para obras que costuram arte à experiências do dia-a-dia e ao tecido da vida que existe e resiste no centro da cidade do Rio de Janeiro. 

 

“O Agro não é Pop – Resistência no Brasil Indígena” , individual de Denilson Baniwa

“Aberta Residência” , coletiva com Anitta Boa Vida, Bia Martins, Emilia Estrada, Pri Fizsman e Rafaele Ferreira
Curadoria de Geisa Lino

Centro Municipal de Artes Hélio Oiticica
Rua Luis de Camões 68, Praça Tiradentes – Rio de Janeiro
De 03 de agosto a 28 de setembro
Funcionamento: Segunda a Sábado, das 12h às 18h

 



O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA