Tiago Sant’Ana critica desigualdade social em “Baixa dos sapateiros”

(Rio de Janeiro, RJ)

Engajado nas mazelas sociais causadas pelos racismo no país, o artista baiano Tiago Sant’Ana, indicado ao Prêmio PIPA 2018, abre “Baixa dos sapateiros”, individual que aborda a “imagem histórica dos sapatos como símbolo de libertação pós-abolição negra no Brasil”. O nome da exposição inaugurada na Simone Cadinelli Arte Contemporânea, em Ipanema, remete a uma região de mesmo nome no Recôncavo Baiano, onde pessoas negras iam para confeccionar sapatos, objeto que só pode ser usado após e abolição e que, dessa forma, representava a condição de liberdade.

“Era uma geografia que simbolicamente envolvia uma expectativa por essa promessa de cidadania para as pessoas negras, que nunca chegou completamente até hoje”, lamenta o artista, que apresenta vídeo, fotografias, objetos e instalações, além de esculturas de sapatos feitos com açúcar para simbolizar o uso de mão-de-obra escrava nas lavouras de cana-de-açúcar na região. Com curadoria de Clarissa Diniz, a exposição é dividida em dois andares, um que reúne proposições de performances, e outro que exibe fotografia e vídeo.

“Trata-se de uma arte que não mais tematiza – de um ponto de vista distanciado, folclorizante ou cientificista – essa história, mas a reconta, reencena criticamente, escancara suas feridas abertas e performa suas possibilidades de transformação. Como a obra de Sant’Ana, esses trabalhos têm a capacidade de falar sobre processos complexos como a escravidão ao, por sua vez, propor situações nas quais seus sujeitos (como, por exemplo, os negros) ocupam outra posição diante da narrativa. Com isso, reposicionam a história do Brasil e, em especial, rearranjam, no presente, sua arte. Com Baixa dos Sapateiros, Tiago Sant’Ana nos traz mais um capítulo desse recente momento social, político e cultural da arte produzida no (e a partir do) Brasil”, analisa Clarissa Diniz.

“Baixa dos sapateiros”, individual de Tiago Sant’Ana
Curadoria de Clarissa Diniz
Abertura: 24 de novembro

Simone Cadinelli arte contemporânea
Rua Aníbal de Mendonça, 171, Ipanema
Horário de funcionamento: seg – sex, das 10h às 19h; sab, das 11h às 15h



O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA