Alexandre Canonico, "Untitled (misalignment)", 2018 Silvia Cintra + Box 4

Encontros e desencontros de materiais em individual de Alexandre Canonico

(Rio de Janeiro, RJ)

Começa nesta quarta-feira, 13 de junho, a primeira individual do paulistano Alexandre Canonico em terras cariocas. Ocupando a Silvia Cintra + Box 4, “Como vão as coisas” apresenta seis obras do artista, entre gravuras, esculturas e uma instalação.

A última, aliás, é a maior obra da exposição. Chamada de “Campo”, ela consiste em duas grandes arruelas cobertas por barras de aço pintada e ocupa toda a parede do fundo da galeria. Encontradas em lojas de construção comuns, as arruelas são um exemplo do tipo de material com que Canonico costuma lidar. O arquiteto de formação realiza encontros e desencontros entre industrializados como espumas, barras de ferro, chapas de compensado e areia em seus trabalhos, marcados pela simplicidade e economia de gestos.

É desses encontros que vem o título da individual. “Como vão as coisas” fala sobre como um material se relaciona com o outro no espaço, ideia que permeia toda a pesquisa artística do artista.

“Untitled (f)” (2018) é uma das obras com arruelas que Canonico exibe em “Como vão as coisas”

“Como vão as coisas”, individual de Alexandre Canonico
Em cartaz de 13 de junho a 21 de julho de 2018
Abertura: Quarta-feira, 13 de junho, de 19h às 22 h

Silvia Cintra + Box 4
Rua das Acácias 104 – Gávea
Funcionamento: seg – sex, 10h às 19h; sáb, 12h às 18h
T: (21) 2521-0426
galeria@silviacintra.com.br



O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA