Toz, "O Rei", 2016

“Cultura Insônia” estreia na Caixa Cultural Rio de Janeiro

(Rio de Janeiro, RJ)

Seja nas telas, em toy arts ou nos muros da cidade, o baiano Toz criou uma verdadeira galeria de personagens. É dele, por exemplo, o monstrinho Shimu, que se prolifera pela urbes carioca, e Nina, delicada garotinha de traços orientais e cabelos ao vento. Desde setembro do ano passado, no entanto, um desenho menos conhecido seu vem roubando a cena. É o Insônia que, depois de protagonizar uma individual no Museu da Chácara do Céu até janeiro deste ano, chega nesta terça-feira, 29 de maio, à Galeria 3 da Caixa Cultural Rio de Janeiro.

Nela, Toz apresenta dez telas e esculturas – uma delas, formada por diversos manequins – e duas instalações, uma delas interativa. As obras retratam Insônia e seus iguais, a “Cultura Insônia” que dá nome à individual. A civilização imaginária foi a maneira que o grafiteiro encontrou de discutir a herança da cultura africana no Brasil. Mais do que isso, porém, o personagem é também um alter-ego de Toz. Pelo menos de acordo com o autor do texto curatorial da mostra, Felippe Moraes, que descreve ambos criador e criatura como eternamente inadequados (leia o texto completo aqui).

Meu objetivo com essa exposição é provocar reações – declara o grafiteiro, que lidera uma visita guiada junto ao público nos sábados de 16 de junho, 14 de julho e 18 de agosto. – Acho que a arte tem que cumprir esse papel. Ela deve causar qualquer tipo de reação, seja de carinho, de amor, de raiva, e também propor uma reflexão.

“Cultura Insônia”, individual de Toz
Em cartaz de 29 de maio a 26 de agosto de 2018

Caixa Cultural Rio de Janeiro
Av. Almirante Barroso, 25 – Centro
Funcionamento: ter – dom, 10h às 21h
T: (21) 3980-3815
caixaculturalriodejaneiro@caixa.gov.br



O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA