Ingrid Bittar, "Brand New Abyss Baby" da série "Abismo", 2017, colagem

O Belo, o Estranho e o Mal em exposição de Ingrid Bittar

(Rio de Janeiro, RJ)

O Belo, o Estranho e o Mal. De acordo com o crítico e curador Guilherme Gutman, é sobre estes três pilares que a produção recente da carioca Ingrid Bittar (também conhecida como Britta) se apoia.

– Em todo o seu trabalho o Belo pouco disfarça a presença do Mal; e o Mal – é fundamental dizer – não contradiz o Belo. Aliás, em sua mais recente produção, ela permite que uma outra beleza – menos convencional – apareça sem recato – escreve Gutman.

O resultado pode ser conferido em “Sob o mesmo teto: war in a garden scale”, individual que a artista inaugura na Galeria Carambola nesta sexta-feira, 26 de janeiro, com direito a show da banda “Os Canibais Gentis” e convidados. Através de colagens, aquarelas e objetos, Ingrid investiga as profundezas do ambiente familiar em temas como sexualidade, vida doméstica e identidade. Os assuntos vêm permeando sua obra desde o início de sua trajetória, em trabalhos como “Cuckold”, de 2013, ou o bordado “Ademar”, de 2015. Desta vez, no entanto, além da acidez e delicadeza já conhecidos de Ingrid, eles trazem também um elemento obscuro. É o que explica Guilherme Gutman, que ainda assina a curadoria da exposição:

– É nesse ponto que o seu trabalho avança: sob o mesmo teto, em casa ou na extensão ainda familiar de um jardim, dentro de uma escala que o olho atento apreende, a presença da peste, da praga, da ave de mau agouro, do conflito e do enfrentamento como um dado estrutural da vida.

“Sob o mesmo teto: war in a garden scale”, individual de Ingrid Bittar
Curadoria de Guilherme Gutman
Em cartaz de 26 de janeiro a 26 de fevereiro
Abertura: Sexta-feira, 26 de janeiro, de 19h às 02h

Galeria Carambola
Rua Jornalista Costa Rêgo, 59 – São Conrado
galeriacarambola@gmail.com
Visitas sob agendamento (via Facebook, Instagram ou email)



O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA