Jaime Laureano, Invasão, 2017

“Assentamento” expõe as heranças do passado colonial no presente

(São Paulo, SP)

Em meio a projetos de leis que afetam diretamente a população e, de maneira mais específica, a população pobre e negra, a exposição “Assentamento”, individual de Jaime Laureano na Galeria Leme, articula o passado com o presente, expondo os ecos vivos da violência e do racismo existentes no processo de colonização brasileira nos dias de hoje. Interessado em como essa herança se manifesta, em especial, nas questões agrárias do país, Laureano apresenta 8 trabalhos que se desenvolvem ao redor de um eixo formado entre violência e resistência popular.

O título da exposição faz referência aos assentamentos para trabalhadores sem-terra do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) ao mesmo tempo em que alude a um gesto sagrado das religiões de matriz africana, no qual determinado espaço de terra é transformado num território sagrado de conexão entre os homens e as divindades. Esses dois tipos de “assentamentos”, ambos se referindo ao território como um espaço de construção de identidades e subjetividades, foram desenvolvidos historicamente como formas de resistências para povos que estão à margem.

Na articulação entre passado e presente, o artista cria documentos que podem ser utilizados para reorganizar a memória da colonização, presentificando-a, além de produzir também contra-cartografias, propondo outros olhares para a história.

“Assentamento”, individual de Jaime Laureano
Em cartaz de 07 de novembro de 2017 até 20 de janeiro de 2018

Galeria Leme
Avenida Valdemar Ferreira, 130
Funcionamento: ter – sex, 10h às 19h; sáb, 10h às 17h
T: (11) 3093-8184
info@galerialeme.com



O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA