O delírio como potência de criação em “Lugares do delírio”

(Rio de Janeiro, RJ)

Se o século XXI tem nos impelido a rever o senso (em especial, o “bom senso” e o “senso comum”), não poderíamos fazê-lo sem reconsiderar também o “dissenso” e o nonsense, aquilo que hipoteticamente não possuiria laços de sentido. Foram essas indagações que deram origem à exposição no Museu de Arte do Rio (MAR) sobre o delírio, “que concerne a todos em sua capacidade política de reposicionar a razão”.

“Lugares do delírio” faz parte do programa “Arte e Sociedade no Brasil” – eixo curatorial dedicado a aspectos urgentes à vida social no país – e reúne o trabalho de mais de 40 artistas, como Bispo do Rosário, Lygia Clark, Laura Lima, indicada duas vezes ao Prêmio PIPA e Gustavo Speridião, também indicado duas vezes ao Prêmio. Sob a curadoria de curadoria de Tânia Rivera, a exposição propõe uma delicada trama de experiências, obras e projetos que dão a ver formas de resistência e de agenciamento de forças inconformes a modelos de racionalidade.

 

“Lugares do delírio”, coletiva com Ana Linnemann, Anamaria Fernandes e Michel Charron, Anna Maria Maiolino, Arlindo Oliveira, Arthur Bispo do Rosário, Ateliê Gaia – Museu Bispo do Rosário, Bernardo Damasceno, Carla Guagliardi e Stela do Patrocínio, Carlos Bevilacqua, Casa Verde e André Abu-Merhy, Cia. Teatral Ueinzz e Pedro França, Cildo Meireles, Cláudio Paiva, Clóvis, Dias & Riedweg, Dora Garcia, Dudu Mafra, Fernand Deligny, Fernando Diniz, Fernando Lima, Geraldo Lúcio Aragão, Gina Ferreira, Gustavo Speridião, Grupo Arte e Cuidado, Jessica Gogan e Daniel Leão, Hélio Carvalho, João Jordão da Silva, José Bechara, Laura Lima, Leonilson, Livia Flores, Luis Guides, Luiz Carlos Marques, Lula Wanderley, Lygia Clark, Marc Pataut, Marcelo Masagão e Andrea Menezes, Mathilde Monnier, Maurício Flandeiro, Miriam Chnaiderman, Natália Leite, Raphael Domingues, Ricardo Alves Júnior, Rodrigo Paglieri, Solon Ribeiro e Wlademir Dias-Pino
Em cartaz de 07 de fevereiro até 10 de setembro

Museu de Arte do Rio (MAR)
Praça Mauá, 5 – Centro
Funcionamento: qua – seg, 10h às 21h
T: (21) 3031-2741

 



O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA