Coletiva reúne 31 artistas para discutir o corpo como ferramenta política e artística

(Rio de Janeiro, RJ)

Em 1970, o artista Antonio Manuel ficou nu durante a abertura do 19º Salão Nacional de Arte Moderna (MAM-RJ), apresentando o próprio corpo como obra. A ação ficou marcada como protesto contra as ações repressivas da ditadura militar. Desde então, muita coisa mudou, mas nem tanto. Semana passada, o artista Maikon Kempinski foi detido no Distrito Federal enquanto realizada, nu, uma performance que faz parte de uma mostra teatral do Sesc.

A exposição “Os corpos são obras”, em cartaz na Despina até a primeira semana de agosto, reúne o trabalho de 31 artistas, entre eles as indicadas ao Prêmio PIPA 2017 Aleta Valente, Lyz Parayzo e Ricardo Càstro,  para discutir o corpo numa sociedade ainda marcada por ações repressivas e práticas normativas. O nome da exposição faz menção à ação de Antonio Manuel em 1970, “O corpo é a obra”, e propõe um diálogo com a produção contemporânea da cena carioca que tem o corpo como questão central de seus trabalhos. Assim, a mostra convoca o espectador a pensar em “todos os corpos invisibilizados pela história” e “repensar a ideia dos corpos-obra e obras-corpo como ferramenta política para desestabilizar normas e discursos hegemônicos”   

Além dos trabalhos em vídeo, objetos, faixas e cartazes, a exposição conta ainda com uma programação envolvendo outras práticas, como oficina de autodefesa e quadrilha junina – confira aqui a programação completa–. No dia do encerramento, 04 de agosto, haverá um encontro com os artistas e marcha para o clube social gay “Turma OK”, da qual o público pode fazer parte.

“Os corpos são obras”, coletiva com Andiara Ramos, Ana Matheus Abbade, Aleta Valente, Anitta Boa Vida, Bruna Kury, Camila Puni, Carlos Motta, Coletivo Xica Manicongo, Eduardo Kac, Fabiana Faleiros, Fabio Coelho, FROZEN2000, Gabriel Junqueira, Kleper Reis, Lampião da Esquina, Lyz Parayzo, Maurício Magagnin, Matheus Passareli, Nathalia Gonçales, Odaraya Mello, Raquel Mützenberg, Ricardo Càstro, Tertuliana Lustosa, Turma Ok, Uhura Bqueer, Vagner Coelho, Ventura Profana & Jhonatta Vicente, Victor Arruda, Vinicius Rosa, Vítor Franco e Xanayanna Relux
Em cartaz de 27 de junho até 04 de agosto

Associação Cultural Despina
Rua Luis de Camões, 2 – Centro
Funcionamento: ter – sex, 11h às 19h
T: (21) 3197 6002
info@despina.org



O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA