14 artistas participam de “Um piano na selva”, em Belo Horizonte

(Belo Horizonte, MG)

Se Fitzcarraldo, obra de Werner Herzog lançada em 1982, pudesse ser resumida em uma imagem, é possível que ela consistisse naquela do piano perdido em meio a selva – uma ideia absolutamente fora do lugar. A imagem dá nome à coletiva “Um Piano na Selva”, que abre na Periscópio Arte Contemporânea neste sábado, 11 de março. Com curadoria de Germano Dushá, a exposição conta a participação de 14 artistas, sete deles já indicados ao Prêmio PIPA: Daniel Steegmann Mangrané, Daniel de Paula, Deyson Gilbert, Lais Myrrha, Pedro Motta, Rafael RG e Rodrigo Braga.

Embora o ponto de disparo da exposição ser o filme de Herzog, o curador argumenta que as 25 obras em exposição não têm uma conexão literal com o filme: “Não existe um desenho de um personagem, uma pintura de uma cena, apesar do filme estar, de alguma, maneira relacionado ao processo de criação de vários trabalhos”, ele afirma, acrescentando: “A vontade era tratar do sonho desvairado, a busca, o empreendimento.”

O critério de seleção da curadoria surgiu de um grupo de nove artistas com os quais Dushá tem proximidade e diálogo corrente devido a projetos anteriores, aos quais juntaram-se os outros. Uma delas, Maria Thereza Alves, participa com o trabalho que expôs na última edição Bienal Internacional de Arte de São Paulo. Outros dois foram residentes no Bolsa Pampulha 2016, Janaina Wagner e Rafael RG.

Dushá relata que também há, em certos aspectos da exposição, um posicionamento crítico em relação às mazelas oriundas de um processo de dominação genocida, que atropela inúmeros povos em nome de certa ideia de progresso.  “As obras abordam pontos de contato do erudito com o selvagem; da extração com a floresta; do pensamento acadêmico com o esquentar dos corpos; do empreendimento com o campo aberto”, conclui o curador.

“Um Piano na Selva”, coletiva com Bruno Palazzo, Daniel Steegmann Mangrané, Daniel de Paula, Deyson Gilbert, Fábio Tremonte, Janaina Wagner, Lais Myrrha, Paula Sampaio, Pedro Motta, Rafael RG, Renata De Bonis, Ricardo Carioba, Rodrigo Braga e Maria Thereza Alves
Curadoria de Germano Dushá
Em cartaz de 11 de março a 22 de abril de 2017
Abertura: Sábado, 11 de março, de 13h às 19h

Periscópio Arte Contemporânea
Av. Álvares Cabral, 534 – Lourdes
Funcionamento: seg – sex, 10h às 18h30; sáb, 10h às 14h
www.periscopio.art.br



Copyright © Instituto PIPA